Review: Of Mice & Men – EARTHANDSKY

Por Lucas Santos

Eles encontram o equilíbrio perfeito dentro do metalcore melódico ao longo das 11 faixas disponíveis. Gritos estridentes e guitarras pesadas que escrevem harmonias mais leves balanceando a audição juntamente com refrões satisfatórios, que por muito marcam e ficam na cabeça, trazendo um equilíbrio convincente.

Lucas Santos

Confira mais metal:
Destruction – Born To Perish
As I Lay Dying – Shaped By Fire
Suicidal Angels – Years Of Aggression
Killswich Engage – Atonement
Knocked Loose – A Different Shade Of Blue

Gravadora: Rise Records
Data de lançamento: 27/09/2019

As coisas não pareciam muito promissoras para o Of Mice & Men depois da confirmação da saída do seu frontman e fundador Austin Carlile – no dia 30 de dezembro de 2016, Austin postou em seu Instagram e Twitter uma carta aberta afirmando que ele estava deixando a banda para se concentrar em curar a síndrome de marfan, seguir em frente e melhorar depois de se mudar e se estabelecer na Costa Rica.

…com o fechamento de uma porta, outra se abrirá. Não pararei de fazer música e ainda sou capaz de cantar e estou com fome do que está por vir, mesmo que eu não tenho idéia do que possa ser.

Austin Carlile

Com pouco menos de 1 ano após a saída do ex vocalista, eles seguiram em frente e lançou no começo de 2018 o surpreendente álbum Defy. Sem adicionar nenhum membro ou sofrer nenhuma mudança, dessa vez o então baixista Aaron Pauley assumiu também os vocais. Pauley, junto dos outros membros, teve uma atuação espantosa, deixando de lado qualquer incerteza pós Austin.

Em fevereiro de 2019, a banda lançou o single How to Survive que, é muito mais pesado do que as faixas do álbum anterior. Seguido do segundo single Mushroom Cloud pouco menos de 2 meses depois, trazendo a mesma pegada. Ambas faixas deixaram as expectativas altíssimas para o possível próximo álbum, que foi confirmado algumas semanas depois, chamado Earthandsky.

Primeiramente temos que destacar uma produção perfeita. A equalização instrumental se destaca e as passagens agressivas e mais limpas são igualmente podadas trazendo um equilíbrio sublime e satisfatório. Notamos que Aaron está mais à vontade e arriscando nos vocais. O trabalho é uma progressão natural para o Of Mice & Men, mostrando a evolução que eles chegaram como músicos nos últimos 9 anos, mantendo-se fiel ao som que os tornaram reconhecidos abrindo portas à novas abordagens.

Earthandsky é uma representação do passado e dos dias presentes do quarteto californiano. Eles encontram o equilíbrio perfeito dentro do metalcore melódico ao longo das 11 faixas disponíveis. Gritos estridentes e guitarras pesadas que escrevem harmonias mais leves balanceando a audição juntamente com refrões satisfatórios, que por muito marcam e ficam na cabeça, trazendo um equilíbrio convincente.

A faixa de abertura Gravedancer se embala nos singles e se apega em um comportamente mais brutal. Taste of Regreat, Pieces e Deceiver/Deceived trazem o melhor da fórmula de sucesso do grupo. Outro ponto a se destacar do álbum como um todo é a colocação das faixas. Parece que de propósito, eles entregam intercaladamente uma porrada e uma melodia. Meltdown traz uma memória afetiva ao Cold Wold (2016) mostrando sim, que o passo adiante foi dado, mas as raízes jamais serão esquecidas.

Alan Ashby e Phil Manansala encontraram uma forma de conversarem mais dinâmica e verdadeira. Os solos estão mais harmoniosos e as guitarras se comunicam com mais autencidade e naturalidade. Tino Arteaga cria momentos marcante atrás da bateria e entrega tudo e mais um pouco do que as músicas precisam. O baixo de Aaron é o menos marcante dos 4 instrumentos, porém sua performance vocal é despropositada e enfatiza a importância do vocalista nessa nova fase.

O Of Mice & Men trouxe sua autenticidade ao Earthandsky, continuando a explorar as realidades, a variedade de músicas e experimentos usados trazem uma nova gama de alternativas e abordagens. Não existem músicas iguais. Há agressão, há escuridão e há exploração de emoções, muitas. Somos atingido por um peso sonoro que cativa e transforma essa nova fase consagrada da banda, muito melhor do que eles jamais foram.

Nota final: 10/10

16 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: