Review: Axty – Helpless

Por Lucas Santos

O início do álbum é bem mais direto ao metalcore. Já de cara com What I’ve Become nos deparamos com uma forte e sofrida mensagem entregue de forma sublime por Felipe Hervoso, enquanto Walk Away esbanja melodia, excelentes passagens de guitarra e o primeiro breakdown notável, algo que é esbanjado de diversas maneiras inusitadas na faixa título Helpless – podemos dizer que essa é a primeira vez que o Axty mostra a “sua cara” no trabalho.

Lucas Santos

Confira mais Metal em 2021:
Trivium – In The Court Of The Dragon
Beartooth – Below
Powerwolf – The Call Of The Wild
Turnstile – Glow On
Jinjer – Wallflowers
Employed To Serve – Conquering

Gravadora: Independente
Data de lançamento: 8/10/2021

Gênero: Metalcore
País: Brasil


Como definir um estilo? Quantas influências podemos partilhar sem perder uma base sólida? Definir gêneros de uma banda é algo necessário? Ou apenas algo que nós, nerds musicais, gostamos de fazer e passar horas (longas horas) discutindo? Enquanto a resposta ainda está longe de ser respondida deixa eu te apresentar o Axty, banda paulista de metalcore (?) que pode embaralhar ainda mais a sua cabeça.

O Axty é formado por Felipe Hervoso (vocalista) Jonathas Peschiera (baixo), Guilherme Pagani (guitarra), Felipi Grivol (guitarra) e Gabriel Vacari (bateria) e meu primeiro contato com a banda foi através de um twitter do Lucas da Fresno sobre o single Helpless recém lançado como video clipe no Youtube. Resolvi fazer um react que foi muito bem aceito, me deixando bem impressionado com a qualidade não só da música mais de toda a produção sonora e visual da banda. O vocalista Felipe, aliás, assina a produção de todos os videoclipes lançados pela banda junto da ajuda de Jonathas que fica encarregado da mixagem e masterização.

A banda começou em 2016, batizada de Anxiety, como projeto solo “instrumental” de Felipe, que na época lutava contra a ansiedade e a depressão e encontrou na música uma forma de terapia. Depois de alguns lançamentos iniciais, ainda em busca de uma identidade musical própria, o objetivo do projeto foi definido: ampliar, por meio da música, a consciência da ansiedade na sociedade moderna e seus problemas associados, ajudando quem sofre a superar a doença. O nome da banda foi mudado para Axty – uma abreviatura de Anxiety, escolhida por sua autenticidade e adequação ao projeto – então o primeiro single, Persist. Resist, ainda uma faixa instrumental, foi lançada.

Em 2019 surgiu a necessidade dos vocais nas músicas, para aumentar a expressão da mensagem da banda com palavras. Desde então, Felipe passou a atuar também como cantor e dois singles foram lançados: 77 e Dark Eyes. Ambas as faixas abriram um novo horizonte de possibilidades musicais e deram origem a uma ampliação do projeto com a entrada de dois novos integrantes: Guilherme e Jonathas. No último rearranjo em 2021, Gabriel e Felipi se juntaram ao grupo que definiu sua formação final.

Helpless é o primeiro, e muito aguardado, álbum de estúdio da banda paulista. O álbum foi gravado e produzido pelos próprios membros da banda com mix/master por Jonathas Peschiera (Noiseforge Productions) entre fevereiro e agosto de 2021 e conta com 12 faixas que não só focam no metalcore “tradicional” mas também exploram muitas outras nuances sonoras como metal progressivo, eletrônico e até trap. As letra encaixam bem no estilo, e são bem pessoais, influenciadas por viviências do quinteto ao longo de sua jornada pessoal e musical.

O início do álbum é bem mais direto ao metalcore. Já de cara com What I’ve Become nos deparamos com uma forte e sofrida mensagem entregue de forma sublime por Felipe Hervoso, enquanto Walk Away esbanja melodia, excelentes passagens de guitarra e o primeiro breakdown notável, algo que é esbanjado de diversas maneiras inusitadas na faixa título Helpless – podemos dizer que essa é a primeira vez que o Axty mostra a “sua cara” no trabalho.

Your Eyes tem a participação do vocalista Mi Vieira do Gloria, que canta as primeiras palavras em portugues no disco. Letter To My Eyes contém um dos riffs mais insanos e complexos do álbum, trazendo uma energia mais pulsante ao meio do álbum. Evito comparações, mas essa faixa me lembrou muito alguns momentos do álbum The Death Of Me do Polaris. Dead Inside é uma daquelas faixas que mostra o porque o Axty é bem diferente e transborda criatividade em relação ao metalcore moderno. Misturando batidas de hip-hop em seus versos com vocais ferozes e instrumental de metalcore em seu refrão. Se tivesse uma faixa que mostraria o verdadeiro potencial da banda, seria essa.

Faixas discordantes como (IN)s4n1ty e A Perfect Son exploram ainda mais esse leque de possibilidades que a banda experiencia em Helpless. A primeira é rápida, agressiva e muito energética, já a segunda é bem mais cadenciada e devagar até com pitadas do beatdown hardcore mas que mesmo assim traz uma dinâmica interessante e uma dose de força bem potente.

A trinca final de Persist, o interlúdio Hold Me Close e a faixa de encerramento Until We Die (último clipe lançado pela banda) passeia pelo lado mais “pop” e melódico do grupo, com linhas vocais incríveis de Hervoso e instrumental marcante. E assim, depois dos pouco mais de 38 minutos, você provavelmente nunca escutou um álbum de metalcore tão diferente e diversificado.

Helpless é de longe o melhor trabalho de metalcore que já escutei de uma banda nacional. Aliás, dizer que a banda se resume apenas a tocar esse estilo seria um pecado. Dentro da música pesada, Helpless é um dos trabalhos mais diversificados e criativos que já escutei. Um destaque nacional fortíssimo que vai quebrar (já quebrou) barreiras internacionais e alavancar com força o nome do cenário brasileiro. Responsa grande.

Nota final: 9/10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: