Review: InMe – Jumpstart Hope

Por Cleo Mendes

Jumpstart Hope pode ser um pouco morno e chato, com certeza, mas não é um disco terrível, e para aqueles que conhecem o trabalho da banda, a zona de comforto é ultilizada mais uma vez. Para um rock alternativo direto, não ofende, mas você quase começa a desejar momentos mais memoráveis, o que não acontece.

Cleo Mendes

Confira mais metal:
Ocean Sleeper – Don’t Leave Me This Way
Opeth – In Cauda Venenum
As I Lay Dying – Shaped By Fire
Of Mice & Men – EARTHANDSKY
Sons Of Apollo – MMXX
Knocked Loose – A Different Shade Of Blue

Gravadora: Killing Moon Records
Data de lançamento: 17/1/2020

De todas as relíquias dos anos 2000 do rock alternativo britânico, o InMe parece uma banda que, realisticamente, não deveria ter durado tanto tempo. Não para denegrir os esforços de uma banda que sempre se empenhou, mas em comparação a outros grupos dessa mesma cena, eles nunca tiveram a relevância necessária. Se afastando dos holofotes, mas permanecendo presente e consistente na cena, mas mesmo assim o nível de qualidade do InMe, que nunca foi tão alto, os levou a sentir parte importante da cena.

Jumpstart Hope pode ser um pouco morno e chato, com certeza, mas não é um disco terrível, e para aqueles que conhecem o trabalho da banda, a zona de comforto é ultilizada mais uma vez. Para um rock alternativo direto, não ofende, mas você quase começa a desejar momentos mais memoráveis, o que não acontece.

O sétimo álbum de estúdio mostra que o quinteto britânico tem uma compreensão muito melhor da dinâmica no rock alternativo do que muitos de seus contemporâneos. Há uma vantagem cinematográfica em Blood Orange Lake e no Clear History que tem a prontidão para o rádio, progressividade nas guitarras com uma produção surpreendentemente robusta e poderosas. Fundamentalmente, há algo de bom com o disco, desde o foco na melodia que sempre foi a qualidade mais forte da banda até a maleabilidade nos vocais de Dave McPherson que, entre os temas de insegurança e vícios de ultrapassagem em uma faixa como The Next Song, crie algo realmente sólido.

Mas é aí que reside a falha crucial – com muita regularidade, não parece que álbum faça uso de maneira correta. O tecido conjuntivo dessas peças é muito fino e esfarrapado para se unir de maneira eficaz, e cria um trabalho que, embora tenha um tamanho impressionante, tenha problemas na execução. Os vocais provavelmente são os mais atingidos nesse aspecto, soando bem (se um pouco datados) quando McPherson usa seus foles com forte sotaque, mas um falsete já danificado pode ser abafado para quase inaudibilidade em momentos como Blood Orange Lake, ou Ancestry, mutilado em um tom de raspagem e soando muito áspero. Quanto à instrumentação, há pelo menos algo que pode ser adquirido em todas as faixas daqui, o indie rock presente em For Something To Happen e The Leopard, mas carecendo de riffs mais evidentes. Isso significa que pode se levar muito pouco de toda a obra, parecendo um tanto inconseqüente como álbum. Definitivamente, não é ruim, e as sementes certamente estão lá e estão começando a brotar, mas, ao mesmo tempo, o InMe não está aplicando suas idéias para ter muito poder de permanência.

Isso é uma constante nos álbuns do InMe atualmente, e um pequeno consolo é que Jumpstart Hope realmente não é consideravelmente pior do que a maioria do que o precedeu. Provavelmente ainda será passageiro e esquecível em pouco tempo, mas está longe de ser um desastre. De uma certa forma o InMe supreendeu, não que isso façam as coisas ficarem melhore. Pode parecer um julgamento bastante irreverente, mas o Jumpstart Hope não é algo que se presta a análises mais profundas do que isso, nem faz o suficiente para justificar a tentativa demais.

Nota final: 5,5/10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: