Review: Anti-Flag – 20/20 Vision

Por Lucas Santos

Além da música conhecida por suas letras e ativismo politicamente carregados, focando em direitos humanos e em várias causas de esquerda, a banda sempre foi muito ativa em movimentos que defendem grupos de ação política progressiva, como o Greenpeace e a Anistia Internacional.

Lucas Santos

Confira mais Punk Rock:
Sum 41 – Order In Decline
PUP – Morbid Stuff
I Prevail – TRAUMA
Petrol Girls – Cut & Stitch
ROAM – Smile Wide
Beach Slang – The Deadbeat Bang Of Heartbreak City

Gravadora: Spinefarm Records
Data de lançamento: 17/1/2020

Apesar de nunca ter feito muito barulho no começo, o Anti-Flag está há um bom tempo na ativa. Desde o álbum de estreia Die for the Government de 1996 foram 10 trabalhos de estúdio com o melhor que o punk de protesto – o chamado “anarcopunk” – pode oferecer.

Além da música conhecida por suas letras e ativismo politicamente carregados, focando em direitos humanos e em várias causas de esquerda, a banda sempre foi muito ativa em movimentos que defendem grupos de ação política progressiva, como o Greenpeace e a Anistia Internacional.

20/20 Vision é o décimo primeiro álbum do quarteto de Pittsburg. Como sempre foram uma banda que criticou extremamente e incessantemente o governo dos EUA e suas práticas políticas, especialmente nos últimos anos, lançar um álbum em um ano eleitoral, adornado com uma imagem borrada e riscada do rosto de Donald Trump diz muito sobre as reais intenções. Apesar dos muitos anos de estrada mantendo a bandeira política sem, o Anti-Flag consegue equilibrar o velho debate do punk rock e a modernidade do seu som.

As críticas ácidas e letras mais fortes conseguem caracterizar perfeitamente o que é o Anti-Flag. Eles mostram o verdadeiro motivo do álbum logo nos primeiros segundos de Hate Conquers All e apesar da sua sonoridade não demonstrar muitas mudanças do quejá foi feito anteriormente, temos algumas faixas que passeiam pelo pop punk – Unbreakable e It Went Of Like Bomb – a mais raivosa Christian Nationalist que entrega uma melodia interessante principalmente no refrão e You Make Me Sick que vai mais direto ao ponto. Resistance Frequencies é a mais diferente das 11 faixas, insere alguns instrumentos de sopro e tem uma pegada mais pop.

No mais temos uma boa performance dos membros e produção. A mensagem é bem entregue. Para quem está familiarizado remotamente com o trabalho deles, nada disso precisa ser dito. O Anti-Flag está nesse mesmo caminho há anos e o equilíbrio entre acessibilidade e ferocidade foi aperfeiçoado até um ponto interessante. As melodias e ganchos são suficiente bons para os marinheiros de primeira viagem e também para os fãs. 20/20 Vision é o padrão deles, porém mostra o porque ainda vale a pena que estejam juntos fazendo música e protestando do melhor jeito.

Nota final: 7/10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: