Review: Alcest – Spiritual Instinct

Por Lucas Santos

“… No Spiritual Instinct , existem perguntas sobre o significado da vida e a possível existência de outra coisa; algo divino”.

Neige, vocalista do Alcest

Confira mais metal:
Dragonforce – Extreme Power Metal
Opeth – In Cauda Venenum
As I Lay Dying – Shaped By Fire
Of Mice & Men – EARTHANDSKY
Screamer – Highway of Heroes
Knocked Loose – A Different Shade Of Blue

Gravadora: Nuclear Blast
Lançamento: 22/10/2019

Alcest é a primeira banda “classificada” como blackgaze que eu faço uma resenha para o site. Blackgaze é um subgênero do black metal surgido no começo da década de 2000 através da fusão entre o black metal e os gêneros shoegaze (estilo de indie rock) e post-rock. O projeto foi formado pelo multi instrumentista francês Neige quando ele tinha apenas 14 anos de idade. Sua estréia foi em 2007 com o álbum Souvenirs d’un autre monde no qual ele foi responsável por toda a parte instrumental, o único como projeto solo. Logo em sequência ele recebeu o apoio do baterista e percussionista Winterhalter tornando oficialmente, até o momento, o projeto em dupla.

Cair de paraquedas em um projeto que já está mais de 12 anos na ativa sem ser conhecedor do estilo, tão pouco da banda é uma tarefa difícil. Não tenho conhecimento de nenhum outro álbum anterior, porém com uma rápida pesquisa descobri que o Alcest começou como uma banda mais crue de death metal e foi formulando o seu som durante os anos, até chegar em uma sonoridade mais ampla, fluida e épica.

“… No Spiritual Instinct, existem perguntas sobre o significado da vida e a possível existência de outra coisa; algo divino”.

Neige

Spiritual Instinct é uma viagem quase que espacial. Os vocais de Neige soam como uma entidade espiritual conversando que conversa com você. Dentro do metal, os tons são variados, em Les jardins de minuit o black metal se funde com levadas de doom metal. Os vocais se alternam – hora cantos mais suaves e espirituais, hora mais agressivos e sombrios -, Protection é praticamente uma viagem com alguma divindade extra terrestre. A atmosfera criada nos leva a acreditar que estamos em diálogo com algo poderoso.

L’Île des Morts, Le Miroir e a já citada Les jardins de minuit são cantadas em francês, e prestando atenção em suas letras paramos para analizar os questionamentos sobre a vida e existencialismo abordados na jornada.

Eu sou uma imagem nas sombras
Um lugar vagamente deslumbrante
Na escuridão profunda
Uma difusa clareza que brilha forte
É por isso que minha alma é sombria

Le Miroir

Se tenho algo à aprender com essa experiência fornecida pelo Alcest é que o Blackgaze é um estilo focado 90% na atmosfera e efeitos sonoros. Os cantos são um bônus que enriquecem a experiência adicionando uma vida quase divina a cada faixa.

Com uma pequena sensação de repetição, o resultado final de Spiritual Instinct é incrivelmente satisfatório e totalmente inovador para mim. Esse tipo de música me levou para lugares inalcançáveis, me fazendo refletir sobre diversas questões existenciais, sobre a vida e tempo. Foi feito por um artista que possui uma visão entre o material e imaterial, mas, em última análise, parte de dentro do seu próprio universo. Uma viagem que vale a passagem de ida e de volta. Te aconselho fortemente à embarcar nela.

Nota final: 8/10

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: