Review: Thy Art Is Murder – Human Target

Por Cleo Mendes

Você recebe o pagou: temos aqui brutalidade, colapsos pesados, bateria esmagadora e uma festa de riffs brutos, mas receberá muito pouco ou nenhuma surpresa. Eles jogam no campo neutro, sem arriscar, e às vezes até decepcionam em aspectos que normalmente não costumam decepcionar.

Cleo Mendes

Confira mais metal:
Sabaton – The Great War
Abbath – Outsrider
Dream Tröll – Second To None

Gravadora: Nuclear Blast
Data de lançamento: 26/07/2019

Deathcore é um gênero que foi, é e continuará a ser o ligado ao metal. Um estilo que deve agradar a uma ampla gama de ouvintes: aqueles que querem um pouco mais de coragem do metalcore, mais riffs de seu hardcore e menos odor corporal de seu death metal. No entanto, deathcore continua a ser um dos subgêneros mais malignos do metal extremo. Um pequeno número de bandas sempre será visto com mais afinco por serem veteranos de deathcore, muitos dos quais estão tentando o seu melhor para caminhar até uma linha fina de permanecer fiel ao gênero e dar nova vida a um gênero agonizante. Os australianos do Thy Art is Murder são saudados entre aqueles pesos pesados confiáveis no gênero. Human Target é o quinto lançamento deles, eles podem manter os fogos acesos?

Os ouvintes do novo álbum do grupo ficarão extremamente desapontados se esperarem grandes mudanças na direção musical. O registro é usual para Thy Art is Murder. Você recebe o pagou: temos aqui brutalidade, colapsos pesados, bateria esmagadora e uma festa de riffs brutos, mas receberá muito pouco ou nenhuma surpresa. Eles jogam no campo neutro, sem arriscar, e às vezes até decepcionam em aspectos que normalmente não costumam decepcionar.

Há mais semelhanças do que inovações, e é difícil escolher destaques aqui. Muito pouco é diferente, que quando combinado com a falta na evolução da composição resulta em um disco obsoleto com poucas seções de destaque, e muito menos canções. Faixas como New Gods e Voyeurs Into Death são quase interessantes quando se concentram em tentar fazer algo novo, mas voltam à base sem qualquer tipo de recompensa e se juntam à rotina. O Human Target não faz nada para ser melhor do que as bandas que estão se destacando no gênero recentemente. Tudo isso faz com que o álbum seja esquecível e não prove que mereça uma audição mais atenta e aprofundada. Com muita coisa mais interessante no momento, Human Target não pede passagem e fica lá no fim da lista.

As composições são seguras, os guitarristas Andy Marsh e Sean Delander sabem o que estão fazendo, mas eles não estão realmente tentando reinventar a roda. A fúria implacável da bateria de Lee Stanton sempre foi uma marca da máquina da banda, e o novo baterista Jesse Beahler assumiu o posto muito bem, mas dado mais tempo e independência, Beahler provará ser um compositor mais maduro, cujo início já é visto no disco.

A banda falha em alguns lugares. Make America Hate Again soa como um lado b ou faixa título de qualquer grupo de deathcore desconecido. Não é ruim, mas não é muito emocionante. Eternal Suffering engole muito, mas não tem direção, serpenteia com riffs antes de desaparecer sem cerimônia. Atonement tem um caráter indefinido, sem um gancho ou riff para elevá-lo. Welcome Oblivion é frustrante, já que tem alguns arranjos interessantes e McMahon faz um bom trabalho, mas praticamente revela todo o seu valor de replay.

Human Target provavelmente manterá o Thy Art Is Murder onde eles estão, talvez adquirindo alguns fãs que entraram no metal extremo através do portal do Lamb of God, enfatizando aqueles elementos de seu som, mais do que em Dear Desolation (2017). Este é um registro fácil de se gostar, mas difícil de amar ou recomendar de todo o coração. Na atmosfera musical de hoje, o Human Target será um álbum onde os fãs de deathcore colocarão os destaques em uma lista crescente de deathcore e ouvirão dessa maneira. A vantagem de um álbum como este é que é fácil de ouvir, já que exige pouco do ouvinte.

Nota final: 5,5/10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: