Review: Sabaton – The Great War

Por Lucas Santos

The Future Of Warfare é um começo digno, aqui temos todos os elementos que os acompanharam durante toda a sua carreira, algo que Seven Pilars Of Wisdom continua carregando, dando um excelente cartão de visitas e iniciando o álbum da melhor forma possível.

Lucas Santos

Confira mais metal:
Death Angel – Humanicide
Baroness – Gold & Grey
Abbath – Outsrider
Dream Tröll – Second To None

Gravadora: Nuclear Blast
Data de lançamento: 19/07/2019

Ao longo dos 20 anos de carreira, desde o seu primeiro álbum Primo Victoria (2005) o Sabaton construiu uma carreira onde se tornaram uma das bandas de power metal mais respeitadas no circuito. Além disso, apresentam um show ao vivo insano, cheio de pirotecnia, fogos de artifício, produções fantásticas e atos teatrais, fazendo com que mesmo quem não seja fã da banda tenha o respeito e apreciação, devido à grande produção de suas performances.

The Great War era um dos lançamentos mais aguardados do ano, ele é o nono álbum da carreira dos suecos, e é uma peça épica conceitual que conta histórias de um dos eventos mais devastadores e cruéis da história da humanidade: “A Grande Guerra”. Estruturalmente, as músicas são bem simples, sempre seguindo um padrão bem dinâmico, mas devido às grandes ideias e ótimas escolhas de riffs e melodias, se tornam muito pegajosas, animadas e divertidas.

The Future Of Warfare é um começo digno, aqui temos todos os elementos que os acompanharam durante toda a sua carreira, algo que Seven Pilars Of Wisdom continua carregando, dando um excelente cartão de visitas e iniciando o álbum da melhor forma possível.

A faixa título é outro grande esforço, começa de maneira épica, se acalma, cria um clima e explode em um grande refrão, pegajoso e grandioso somados ao melhore solo de guitarra do álbum. Fields of Verdun é outra ótima canção. Aqui a parte melódica se destaca, com guitarras gêmeas e riffs bem poderosos. In Flanders Field, último ato, é um coro à capela que termina a batalha, e só funciona mesmo pq o trabalho é conceitual, uma tentativa diferente que deu muito certo.

The Red Baron, por exemplo, é uma música que não deu certo, é uma das mais fracas daqui, feito que também ocorre com 82nd All The Way, ela acaba se destacando um pouco mais, porém não o necessário para chamar a atenção ou ser lembrada.

Dos lendários conflitos à perspectiva dos soldados e os traumas pós guerra, tudo isso é abordado devido às letras incrivelmente elaboraras, histórias fascinantes e uma atmosfera que te faz sentir-se na pele dos guerreiros em um campo de batalha. The Great War entrega o prometido. O Sabaton pode ter a mesma fórmula de sempre, mas encontraram em uma temática pouco explorada, uma forma de modernizar e atualizar o seu som, e que mesmo com alguns escorregões, entregaram um álbum sólido, divertido e profundo liricamante.

Nota final: 8/10

Confira mais links:

Facebook Website

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: