Review: Majestica – Above The Sky

Por Lucas Santos

Com uma pausa de quase 6 anos, os mesmos três membros da banda, que são completados pelo guitarrista Alex Ortiz e baixista Chris David e tiveram em Above The Sky, a participação mais que especial do lendário baterista que tocou no Gamma Ray, Helloween, Masterplan entre outros, Uli Kusch.

Lucas Santos

Confira mais Power Metal:
Diviner – Realms Of Time
Sweet Oblivion – Sweet Oblivion
Embrace Of Disharmony – De Rervm Natvra
Gloryhammer – Legends From Beyond The GalaticTerravortex 
Paladin – Ascension

Gravadora: Nuclear Blast
Data de Lançamento: 7/06/2019

Majestica é uma espécie de projeto solo do agora intregante oficial do . Sabaton, o guitarrista e vocalsita sueco Tommy Johansson. Sendo formada inicialmente com o nome de ReinXeed, a banda faz um metal melódico sinfônico, com pitadas de power metal e elementos épicos.

ReinXeed lançou ao todo seis álbuns entre 2008 e 2013, um número considerável de materiais, mostrando uma imensa criatividade e paixão por parte dos integrantes. Com uma pausa de quase 6 anos, os mesmos três membros da banda, que são completados pelo guitarrista Alex Ortiz e baixista Chris David e tiveram em Above The Sky, a participação mais que especial do lendário baterista que tocou no Gamma Ray, Helloween, Masterplan entre outros, Uli Kusch.

Tommy explica esa mudança de ares “Faz muitos anos desde que lançamos um álbum pela última vez, então decidimos começar de novo como uma nova banda. Não é apenas um nome majestoso e épico para uma banda de power metal da Suécia, é também uma homenagem ao álbum Majestic que lançamos com o ReinXeed em 2010. Nós criamos, e soou ótimo, foi perfeito para esse tipo de música e parece bom.”

O álbum começa sólido o suficiente com a faixa-título, que tem um ótimo trabalho de Chris David. Rising Tide anima as coisas, as letras mais fantásticas trabalhando bem ao lado dos vocais de Johannson. De longe, a melhor música do álbum é Night Call Girl: mais curta e mais forte, o refrão é contagiante e vai proporcionar uma sensação de perpetuação por dias a fio, enquanto a sensação de reminiscência da época da NWOBHM nos anos 80 é feito de forma excelente, uma faixa retrô para a era moderna. The Way To Redemption e Future Land são faixas típicas de power metal, cheias de bordões, mas agradam.

Infelizmente os problemas que o álbum tem não passam despercebidos e acabam sendo maiores que qualquer triunfo. As partes melódicas e sinfônicas acabam se perdendo muito durante as faixas, há um exagero tremendo e quase todas as músicas, com raras excessões, acabam soando muito parecidas. A produção deixou a desejar um pouco, principalmente na bateria e na mixagem sonora final, algo que é surpreendente vindo de uma gravadora tão renomada e de grande calibre que é a Nuclear Blast.

No fim, o trabalho não é ruim, mas acaba decepcionando. Dado a rodagem e o talento dos músicos, era de se esperar algo mais coeso, sólido e mais envolvente. Infelizmente a banda cai em muitas armadilhas e acaba se repetindo em diversas ocasiões, caindo em vários clichês e soando sem força e experiência. Above The Sky pode ser um recomeço para o Majestica, mas é preciso muito mais que isso para alcançar alguma notoriedade em um estilo cheio de coisas boas e mais interessantes.

Nota final: 5/10

Confira mais links:

Facebook Website|

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: