Children of Bodom: A escuridão tomou conta de Boston

Por Lucas Santos.

Boston, quarta feira, oito e meia da noite. Horário da minha chegada no Royale, uma das casas de show mais tradicionais da cidade. A capacidade da casa é de mil pessoas, porém arrisco a dizer que apenas metade do número permitido estava presente.

O Children of Bodom lançou esse ano seu novo álbum Hexed dia 8 de março, e saiu em turnê por um curto período pelos Estados Unidos, antes de partirem para a Europa no verão.

A programação, que começou as 6:30, contou com a apresentação de 3 bandas além da principal: Summoner’s Circle – Banda americana que eu nunca ouvir falar, faz uma espécie de Doom Metal com apresentações teatrais – durante os outros shows todos eles estavam numa mesinha caracterizados, conversando com o público e vendendo os discos (Tome de 2018 é o mais recente). Wolfheart – Finlandeses de Death Metal melódico que lançaram em 2018 o bom álbum Constellation of the Black Light. Uma pena ter perdido o show dos caras. E Swallow the Sun – Banda também da finlândia, tocam uma espécie de Doom/Death Metal com ênfases na atmosfera e melodias.

Eles acabaram de lançar um novo trabalho em janeiro desse ano chamado When A Shadow Is Forced Into Light. O show foi muito bom. A banda realmente consegue passar o que eles se propõe a fazer: Atmosfera sombria, misturadas com melodias mais épicas e alternando em momentos mais cadenciados com peso e agressividade. Ambos guitarristas Juho Räihä e Juha Raivio esbanjam carisma, sempre interagindo com o público.

Ficaram no palco por quase 50 minutos. Assim que acabou o show, a equipe demorou quase 30 minutos para montar tudo para que o Children of Bodom pudesse entrar em cena.

9:50, escuridão total, luzes roxas iluminam o palco. Os primeiro acordes de Are You Dead Yet? são tocados e pronto, o Bodom está em ação! Logo no começo da primeira música uma roda gigante já se formou bem do meu lado, o que permaneceu durante o show inteiro. Além disso, o público que estava preocupado em também assistir o show, interagia e cantarolava as melodias das guitarras e letras. O Bodom ficou em cena por ininterruptos 60 minutos. Quando digo ininterruptos, digo que a interação de Alexi com o público foi muito pequena, ele nunca foi uma das pessoas mais carismáticas no palco. Além do mais ele canta e toca todos aqueles solos absurdos que sobra pouco tempo para interagir. Se fizesse, ele seria um super herói rs.

As poucas interações que houveram pareciam ser muito robotizadas: “Great to see you Boston”, “Thank you so fucking much!” e coisas desse tipo. Janne Wirman, tecladista da banda e o baixista Henkka T. Blacksmith foram os mais carismáticos mas uma coisa bem feijão com arroz.

Platitudes and Barren Words foi a primeira música do novo álbum, que teria mais três faixas presentes no show: This Road, Under Grass and Clover e Hecate’s Nightmare. Um bom número de faixas para uma turnê que tem como objetivo divulgar o novo trabalho.

A banda veterana é impecável ao vivo. Isso ainda impressiona devido a complexidade das músicas e quantidade de notas. Musicalmente falando, todos os membros são um degrau acima de muita coisa que nós vemos e ouvimos por aí. Eles tocaram a maioria dos hits: Bodom Beach Terror, Everytime I Die, Angels Don’t Kill. Sempre intercalando com uma faixa do cd novo. Após 11 álbuns lançados é difícil fazer um setlist que agrade todo mundo, sempre vai faltar alguma coisa.

A décima segunda faixa da noite foi especial. Henkka anunciou que a banda tocaria a faixa If You Want Peace… Prepare for War uma das minhas músicas favoritas, que nunca tinha sido tocada ao vivo pela banda anteriormente e foi inserida no setlist desta turnê. A plateia foi a loucura. Bravo!

Hate Me! e Downfall fecharam uma apresentação impecável, mas muito cirúrgica. Se não fosse pela interação de muitos na plateia, a experiência teria sido outra. Entendo que a rotina de estrada e shows é desgastante e sei que o COB está nessa a mais de 25 anos, mas me pareceu que a obrigação de estar lá era maior que a vontade de estar lá.

No mais, é sempre bom ver tanto talento e qualidade ao vivo. Uma noite especial! Uma banda que sempre eu tiver a oportunidade, irei assistir.

Lineup: Summoner’s Circle, Wolfheart, Swallow the Sun e Children of Bodom

Local: Royale – Boston, MA.

Data: 17/04/2019

Setlist:

1 -Are You Dead Yet?

2- In Your Face

3- Platitudes and Barren Words

4- Bodom Beach Terror

5- This Road

6- Everytime I Die

7- Under Grass and Clover

8- We’re Not Gonna Fall

9- Hecate’s Nightmare

10- I Worship Chaos

11- Angels Don’t Kill

12- If You Want Peace… Prepare for War

Encore:

13- Hate Me!

14- Downfall

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: