Review: The Treatment – Power Crazy

Vida longa aos meninos de Cambrige!

Lucas Santos

Gravadora: Frontier Records
Data de Lançamento: 22/03/2019

Power Crazy é um belo exemplo de “não julgar o livro pela capa”.

Trocar de vocalista sempre é uma ocasião muito complicada. Após lançar o seu primeiro álbum com uma grande gravadora em 2016 Generation Me, Mitchel Emms anunciou sua saída da banda e foi substituído prontamente por Tom Rampton. 3 anos depois The Treatment lançou dia 22 de março o seu novo trabalho de estúdio chamado: Power Crazy.

O resto da banda permanece o mesmo do trabalho anterior: Tagore Grey (guitarra), Dhani Mansworth (bateria), Rick “Swoggle” Newman (baixo) e Tao Grey (guitarra) e apesar da troca de vocalista sempre ser um pesadelo, o grupo arranjou não só alguém que soe muito parecido com o anterior, mas que elevou a banda a outro patamar e entregou até então, o melhor trabalho do grupo.

O quinteto inglês tem influências de AC/DC, Guns N’ Roses, sons oitentistas e rock misturado com blues, tudo entregue na melhor qualidade. A sonoridade não é original, mas a banda atinge um som cru e natural, moldado ao longo dos mais de 10 anos de existência que estabelece sua identidade musical. As guitarras entregam riffs rápidos e sequências melódicas bem elaboradas adicionadas a bateria típica de hard rock, agressiva e marcando o tempo, trazendo o peso e velocidade na hora certa, os refrões quase sempre cantados em conjunto, ficam na cabeça e com apenas duas audições você já se vê cantando metade deles.

Ao longo das doze faixas (com um bônus acústico para CDs físicos) e mais de 40 minutos somos cativados pelo groove, simplicidade e competência musical. A abertura Let’s Get Dirty dita o ritmo, a banda atinge o seu ápice com a sequência Hang Them High, Scar with Her Name e King of the City. On the Money e Luck of the Draw são faixas mais lentas e arrastadas num ritmo blueseiro com ótimos solos de guitarras. Falling Down fecha o álbum no mais alto nível e nos deixa com um gostinho de quero mais.

Power Crazy é até agora o melhor álbum de Hard Rock Blues do ano. The Treatment não apenas estabeleceu um alto nível para si mesmo mas também para todos os outros grupos do mesmo gênero por aí. Aos fãs de Hard Rock que buscam uma sonoridade fresca e moderna, o álbum é uma audição obrigatória. Vida longa aos meninos de Cambrige!

Nota final: 8/10

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: