Os Melhores Álbuns de Metal de 2022 (Até o momento…)

Já estamos (quase) no meio do ano, e as inevitáveis listas de melhores do ano no primeiro semestre vão começar a surgir em tudo que é canto que se fala de música na internet. O que eu tentei fazer aqui foi apenas separar aqueles álbuns que foram citados de alguma forma aqui no blog – seja em resenhas, no canal do youtube ou no rapidinhas.

A ideia é aprofundar a lista um pouco mais até o fim de 2022, porém, já tem muito nome interessante pra se da uma conferida até o momento. Dentro do metal, para os fãs de progressivo, hardcore, metalcore, metal moderno, metal tradicional, ou apenas metal… aproveitem as dicas, tem de tudo um pouco.

Esses são os nossos álbuns favoritos de metal de 2022 até o momento.


BAD OMENS – THE DEATH OF PIECE OF MIND

O terceiro e muito esperado álbum de estúdio da jovem banda de metalcore Bad Omens, tem nuances interessantes. Ele é muito mais atmosférico do que eu esperava; ultilizando diversos artefatos do metal moderno e de sintetizadores em passagens mais ambientes. O peso e a qualidade das composições, principalmente em ganchos envolventes, está presente e a banda certamente saiu da zona de conforto. O hype é real assim como a grandiosidade da banda. – Lucas Santos


BLEED FROM WITHIN – SHRINE

O quarto álbum de uma das bandas mais subestimadas do deathcore mundial não se limita à apenas agressividade e peso excessivo. Os elementos sinfônicos fazem de Shrine uma nova forma de abordar o consagrado som do Bleed From Within e, alinhado a potente produção e composições memoráveis, fazem com que o trabalho seja indispensável aos ouvintes de heavy metal em 2022. – L.S


CAGE FIGHT – CAGE FIGHT

Cage Fight soa exatamente como você esperaria que uma banda chamada Cage Fight soasse; o disco é uma sucessão de golpes violentos nos órgãos vitais, sem respiro e sem tempo para pensar. O debut do quarteto britânico não é nada que os fãs hardcore da velha escola não conheçam, mas é um projeto entregue com paixão, conhecimento e muito de habilidade. Um dos discos de hardcore mais impressionantes de 2022. – L.S


COMEBACK KID – HEAVY STEPS

Os reis do hardcore do Canadá estão de volta à sua melhor forma no seu sétimo álbum de estúdio, misturando o som mais pesado e metálico do clássico moderno Die Knowing (2014) com o hardcore frenético e melódico de seus lançamentos anteriores. Heavy Steps é a mistura quase perfeita de hardcore moderno e um lembrete amigável de que o Comeback Kid é uma das melhores bandas que já existiram dentro do gênero. – L.S


HOSTILITIES – NØ COWARDS

NØ COWARDS é a estreia de um dos novos nomes do hardcore que mais me chamou a atenção recentemente. Misturando influências do metalcore dos anos 90 e do death metal clássico, o grande destaque é a vocalista Larissa Perrin além do produto final soar como um furioso beatdown hardcore que dá vontade de sair socando as paredes. Aprovado! – L.S


MALEVOLENCE – MALICIOUS INTENT

Malicious Intent é o terceiro álbum de estúdio de uma banda que sabe o que está fazendo. O novo trabalho do Malevolence não tenta trilhar novos caminhos, não que isso seja algo que eles realmente se preocuparam. A banda está em um lugar de respeito com o seu som pra lá de consagrado, e apenas expande o seu catálogo. Malicious Intent mantém o ritmo de seus trabalhos anteriores, mas, mais importante, mantém as rodas da banda girando. Para os fãs, um deleite, para os noviços, a escolha certa. – L.S


MOON TOOTH – PHOTOTROPH

A última banda de metal progressivo que me chamou bastante a atenção antes do Moon Tooth foi o Caligula’s HorsePrototroph é o terceiro álbum de estúdio da banda, mas o mru primeiro contato com o grupo novaiorquino. Me encantou o fato da banda misturar em suas composições elementos distintos que vão do metal e rock progressivo, hard rock pop. As faixas soam energéticas e poderosas, possuem complexidade mas entregam leveza e um sentimento real de pureza e compaixão. Preciso de uma imersão maior na discografia da banda, mas o fato é que o Moon Tooth provou ser uma descoberta e tanto para mim em 2022. – L.S


SAXON – CARPE DIEM

Carpe Diem é mais um ótimo disco do Saxon. Mantendo as raízes lá do seu começo, ainda com a mesma energia e se agarrando muito na fórmula de sucesso do seus últimos trabalhos Thunderbolt (2018), Battering Ram (2015) e Sacrifice (2013), não existe muita exigência aos quase setentões do heavy metal. Aos fãs, um deleite. Os mais jovens ou marinheiros de primeira viagem é mais uma chance de presenciar a história em tempos modernos. Não sei se agrada, mas para mim, o Saxon pode durar até os anos 3.000. – L.S


SEPTICFLESH – MODERN PRIMITIVE

30 anos de estrada e Modern Primitive é o décimo primeiro álbum de estúdio do Septicflesh, talvez a maior banda de metal grega da história e uma das mais respeitadas do death metal. Instrumentação impecável, duos vocais alinhados, som pesado extremo com produção do mais alto patamar do metal moderno e elementos sinfônicos e folclóricos que dão um tom de individualidade realmente fazem de Modern Primitive o perfeito exemplo do que é o metal moderno. Não é um salto avançado e nem um passo para trás, apenas uma confirmação da grandiosidade e competência da banda. – L.S


SEVENTH WONDER – THE TESTAMENT

Chamar The Testament de mais uma obra prima do Seventh Wonder não seria exagero nenhum. O sexto álbum da formidável banda suéca é uma mistura perfeita de viagem sonora com complexidade e simplicidade alinhadas da maneira mais agradável aos ouvidos e coração. Um conforto musical alegre e divertido de muita musicalidade e criatividade. – Cleo Mendes


TERROR – PAIN INTO POWER

Bem… se você gosta de hardcore punk o nome Terror deve ser familiar pra você. O fato de Pain Into Power soar tão ferroz, poderoso e agressivo como os clássicos que a banda lançou no começo dos anos 2000 já diz muito sobre eles. 10 faixas em um pouco mais de 18 minutos e tudo que você espera de um ótimo álbum do estilo e também tudo que você pode esperar de uma banda tão importante pro hardcore moderno. – L.S


VENOM PRISON – EREBOS

A realidade é que não há uma música ruim em Erebos. A banda elevou e refinou seu ofício, resultando em um álbum que reafirma e explora em linhas muito tênues. O nível foi elevado logo no começo do ano, e o Venom Prison atingiu o seu ápice em muito pouco tempo. – L.S


VISIONS OF ATLANTIS – PIRATES

Pirates, o oitavo álbum de estúdio da consagrada banda de metal sinfônico Visions Of Atlantis é uma beleza inexplicável do gênero. Englobando tudo que o gênero pode proporcionar e entregando uma banda que soa, performa e cria momentos de rara felicidade, mesmo em uma carreira tão sólida. Pirates é tudo oque eu queria e precisava. O melhor lançamento do gênero até então. Imperdível. – L.S


WILDERUN – EPIGONE

Álbuns tão densos e tão importantes pra mim são os o que eu tenho mais dificuldade de escrever sobre. Mas posso te garantir que gostar de Epigone é uma tarefa fácil. Entender a sua complexidade é uma tarefa mais árdua, mas ser carregado pelas emoções que o Wilderun consegue te transportar duantes os mais de 60 minutos só depende do quão disposto a sair do mundo real você está. É magistral; cada elemento constituinte, da instrumentação, à composição da música, à composição do álbum, é cuidadosamente organizado e perfeitamente equilibrado para forjar um dos mais comoventes, dramáticos e empolgantes álbuns da banda, do metal progressivo e do ano. – L.S


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: