The Rock List – Top 10 Álbuns Que Completam 30 anos em 2020

Por Lucas Santos

Talvez a década de 90 tenha tido a última drástica transição no mundo da música. O purpurinado rock oitentista estava enfraquecendo, e a nova abordagem musical que tinha grande força, principalmente em Seattle, estava começando a surgir.

Com o aparecimento de bandas que deram um start no denominado movimento grunge e com últimos suspiros de grupos que reinaram dentro do glam metal, essa lista traz nomes interessantes que mesclam os estilos, apresentando muito bem as mudanças sociais e musicais que estavam acontecendo no começo dos anos 90.

Tem banda de thrash fazendo um dos trabalhos mais importantes do gênero, grupo da NWOBHM se reinventando, surgimento de um dos maiores nomes da época e um dos maiores hits da cena hard rock de Los Angeles. Confira a lista abaixo, na qual falo dos meus 10 álbuns favoritos do ano de 1990.

10. WARRANT – CHERRY PIE

Dirty Rotten Filthy Stinking Rich (1998) já foi um sucesso, mas Cherry Pie foi o ápice do Warrant. Não só o segundo álbum trouxe a faixa título do álbum, o maior hit da banda, e um dos maiores da era do glam metal, como alavancou o nome dos californianos no cenário. Com as baladas I Saw Red e Blind Faith, e a icônica Uncle Tom’s Cabin, Cherry Pie ganhou disco de platina e foi um dos discos mais importantes da cena de L.A, mesmo sendo lançado nos seus últimos suspiros.

9. SLAYER – SEASONS IN THE ABYSS

O último álbum do Slayer por um bom tempo com o baterista Dave Lombardo, que só retornaria dezesseis anos depois em Christ Illusion, teve a difícil tarefa de suceder os icônicos Reign In Blood (1986) e South of Heaven (1998). Season in the Abyss pode não ser tão bom quanto os seus antecessores, mas a musicalidade faz jus aos dois álbuns anteriores e fecha uma época de ouro para a banda. Seria tão bom uma Season in the Abyss 30th Anniversary Tour

8. PANTERA – COWBOYS FROM HELL

Cowboys From Hell é o primeiro sucesso comercial da banda e é considerado por muitos como o “verdadeiro” primeiro álbum do grupo, pois ele apresenta o começo de um novo capítulo na história do Pantera. O álbum marcou uma mudança na imagem e no som, onde eles deixam o glam de lado e começam a exibir traços de thrash, entrando de fato na década de 90 e definindo as bases do que viria a se chamar groove metal, que atingiu o seu ápice no álbum seguinte. O Pantera começava a dominar o mundo com Cowboys From Hell.

7. LOVE/HATE – BLACKOUT IN THE RED ROOM

Talvez o Love/Hate seja uma banda subestimada, mas é possível que Blackout in the Red Room seja o seu único trabalho de destaque. O disco, alavancado pelo seu single homônimo, contem também as excelentes faixas Tumbleweed, Straightjacket e Rock Queen, e se destaca, além disso, pelo vocal diferenciado de Jizzy Pearl. Love/Hate não se acentuou de acordo com o seu potencial, mas Blackout in the Red Room foi, provavelmente, um dos últimos suspiros de qualidade da cena oitentista.

6. ALICE IN CHAINS – FACELIFT

A estreia do Alice in Chains foi crucial para a música de Seattle. Facelift foi um marco e está entre os principais discos do movimento grunge. As mudanças para canções cheias de significado, latentes de emoções e sentimentos, unidas ao instrumental e vozes tão característicos da banda moldaram faixas clássicas como We Die Young, Man in the Box, Sea of Sorrow e Bleed the Freak. Em 1992, Man In The Box foi indicada ao Prêmio Grammy de Melhor Performance Hard Rock com Vocais. Facelift foi o primeiro álbum do movimento grunge a ganhar disco de ouro, Um gigante que ajudou a mudar a cena musical no início dos anos 90.

5. RATT – DETONATOR

Quando se fala de Ratt pouco se fala de Detonator. Com a transição musical acontecendo no início dos anos 90, a banda californiana perdeu um certo espaço no mainstream. Após o início fulminante com Out Of The Cellar (1994) e Invasion Of Your Privacy (1995), eles botaram dois bons álbuns nos anos seguintes ,mas com qualidade inferior aos chamados “clássicos”. Detonator, que é mais direcionado ao glam/pop metal, alavancado por canções como Top Secret, Head I Win, Tails You Lose e Loving You Is a Dirty Job, repara os erros e, apesar de ainda sofrer com algumas críticas, é um dos meus álbuns favoritos do Ratt.

4. EXTREME – PORNOGRAFFITTI

Certeza que ao ler Extreme você pensou em More Than Words. Porém, a monumental balada presente em Pornograffitti foi, talvez, a faixa menos representativa do álbum. Musicalmente, Pornograffitti é dominado por riffs de guitarra de hard rock, ritmos funkeados, sincopados e solos rápidos. Com a patente do virtuoso guitarrista Nuno Bettencourt, as excelentes faixas Decadance Dance e Get The Funk Out ajudaram o Extreme a trazer uma abordagem diferente ao som que estava perdendo forças naquela época. Nuno se tornou uma figura importantíssima entre os guitarristas mundiais e ajudou o Extreme a ficar em evidência por um longo período.

3. JUDAS PRIEST – PAINKILLER

Com Painkiller, o primeiro trabalho lançado pela banda depois da troca do baterista Dave Holland por Scott Travis, o Judas Priest voltou as raízes do estilo que os consagrou no início dos anos 80, além de ser “mais rápido” e notoriamente melhor do que os últimos trabalhos que a banda tinha lançado, Ram It Down (1988) e Turbo (1985). O disco também foi considerado como um dos marcos para o speed metal, que influenciou diversas bandas no estilo durante todo os anos 90. Painkiller já vendeu mais de 2 milhões de cópias pelo mundo.

2. MOTHER LOVE BONE – APPLE

Apple é o único álbum de estúdio da primeira banda do movimento grunge, a Mother Love Bone. Além de contar com o vocalista Andrew Wood, apontado por muitos como o mais talentoso do gênero, e dois integrantes que iriam fazer parte do Pearl Jam poucos anos depois – o baixista Jeff Ament e guitarrista Stone Gossard – podemos “pescar” diversas sonoridades que transformariam o estilo em pouco tempo. This is Shangrila, a balada Chrown of Thorns e Holly Rover mostram o som mais simples, cru, direto e voltado para as guitarras. O Mother Love Bone já fazia um enorme sucesso em Seattle antes mesmo do lançamento do seu álbum e era apontado como o grande nome do grunge. Porém, apenas alguns dias antes do álbum ser lançado, Wood sofreu uma overdose de heroína e morreu, praticamente acabando com qualquer maior possibilidade de sucesso que a banda poderia vir a ter.

1. MEGADETH – RUST IN PEACE

Rust in Peace é um marco no thrash metal e metal mundial. Constantemente apontado como um dos melhores trabalhos do gênero de todos os tempos, o quarto álbum de estúdio do Megadeth apresenta algumas mudanças nas músicas em relação aos trabalhos anteriores, com várias seções, mudanças de tempo, intrincadas performances de guitarra e até momentos mais progressivos. O ápice do quarteto californiano – principalmente do guitarrista Marty Friedman – resultou em clássicos lembrados até hoje pela banda: Holy Wars… The Punishment Due, Hangar 18 e Tornado of Souls são faixas essenciais para entender o quão importante e impactante foi Rust in Peace no início dos anos 90.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: