7 Bandas Britânicas Novas de Thrash que Você Precisa Ouvir

Por Lucas Santos – Matéria Original noecho.com

A relevância do Thrash nunca diminuiu. Os alvos de seu protesto no auge do gênero nos anos 80 – capitalismo agressivo, destruição ambiental e escalada nuclear são, infelizmente, tão relevantes hoje quanto eram há 40 anos.

Dado que o gênero está tão tematicamente ligado a essa rejeição de instituições tradicionais e ideais do establishment, uma polinização cruzada com punk e hardcore era inevitável. Apelidado de crossover thrash, desde o seu início este híbrido manteve uma base de fãs cult que cada geração produz novos ciclos de bandas, cada uma das quais se inclina mais para diferentes aspectos do gênero.

Seguindo a trilha do Power Trip, bandas como Mindforce, Drain, Enforced, Dead Heat e Ekulu se tornaram imensamente populares na cena hardcore contemporânea, utilizando riffs e estética do thrash da velha escola para evocar um modo emocionante de despojado “volta ao básico” do hardcore.

Porém, o Reino Unido nunca teve realmente uma banda de thrash ou crossover thrash que explodiu. Existe um ‘big four‘ do thrash tradicional do Reino Unido: Onslaught, Sabbat, Acid Reign e Xentrix, bem como atos do século 21, como Gama Bomb e Evile. No entanto, nenhum deles fez com que o país fosse influente como os EUA e Alemanha.

No entanto, ao lado do recente sucesso da atual safra de artistas americanos, há muitas bandas novas surgindo no Reino Unido que merecem sua atenção. A lista a seguir contém sete das melhores bandas menos estabelecidas desta nova onda.

Não esqueça de conferir a playlist com as melhores música das bandas citadas na matéria:


PEST CONTROL

O Pest Control é uma bnda de Leeds, e simplesmente é uma das bandas de influência thrash mais empolgantes do Reino Unido no momento. Seu EP Demo 2020 alcançou um extenso sucesso de boca em boca e colocou a banda em um lugar de destaque em muito pouco tempo.

O som enérgico e produzido com nitidez da demo não soa retrô ou retrógrado, apenas emocionantemente natural e cheio de atitude, fazendo a reputação do Pest Control disparar. Uma banda pra ficar muito animado com seus futuros trabalhos.


ASIDHARA

Canalizando uma variação mais cavernosa do crossover thrash, o Asidhara de Cardiff é uma proposta crua, mas emocionante. Seu EP de 2019, Killing Rites, é um gigante linear, cheio de grooves, repleto de batidas enormes, guitarras rápidas e vocais malignos diretos.

Há uma sujeira nos riffs contundentes da banda que torna o EP tão viciante quanto esteticamente agradável (o cover é lindíssimo) e dá ao som suas próprias qualidades distintas entre outras bandas.


OVERPOWER

Apesar de ter lançado apenas duas faixas, a abertura de seu single auto-intitulado, Poison, é uma das faixas mais pesadas de qualquer banda incluída nesta lista. Apresentando um desfile interminável de riffs matadores, culmina em um colapso metálico punitivo do qual nomes como Your Demise ficariam orgulhosos.

O crossover thrash é o seu foco principal, como provado pelos tempos de corrida e pelo solo destrutivo de Overpower. Tendo recentemente tocado em shows com grandes nomes do gênero como Grove Street, Inhuman Nature e The Hell, se espera grandes coisas da banda de Bristol.


FRANTIC STATE

Vindo da cidade de Leicester, o som do Frantic State se inclina um pouco mais para o hardcore convencional do que para o thrash, utilizando os leads divebombing e os grooves de powerchords como adornos ao invés de alicerces estruturais.

Sua abordagem, em vez disso, inclina mais para o hardcore de Nova York e do beatdown dos anos 90, no entanto, quando eles querem se soltar, como no brilhante single de 2019, “Down On My Luck”, seu amor por riffs de metal é claro e muito coeso.


TEMPERED

Uma versão especialmente suja do crossover thrash – o Tempered de Glasgow é uma proposta crua, despojada e agradavelmente desagradável. Os vocais são guturais e desfiados, do tipo que você poderia imaginar trabalhando em um projeto de sludge no estilo Eyehategod e Gatecreeper tanto quanto em uma banda de thrash.

No entanto, sua intensidade selvagem funciona perfeitamente, assim como o baixo incomumente alto. Por baixo de todas essas idiossincrasias está a forte musicalidade do thrash que é muito mais sofisticada do que o som bruto inicialmente sugere. Recomendo.


FINAL FORM

Lançado pela estelar The Coming Strife Records, o misterioso ato Final Form é um exemplo particularmente contundente do que o crossover thrash do Reino Unido atualmente tem a oferecer. A banda tem pouca presença online e até agora só lançou duas demos.

No entanto, a confiança da banda é palpável e sua estética parece totalmente formada, desde a produção nítida até a incrível arte em preto e branco. Uma adição sem frescuras e muito pesada para as fileiras crescentes da cena atual.


HARD STARE

A adição final a esta lista é outro ato escocês – o rápido e impressionante Hard Stare. Apresentando membros do Tempered, e também de outro banda de hardcore de Glasgow, o Kingpin, o EP autointitulado de 2021 do Hard Stare é um turbilhão de 10 minutos, repleto de energia irrepreensível e riffs sem fim. Os tempos aqui são indutores de chicotadas, desde o feroz borderline-grindcore de Frustration/Resolution até o alegre e hino final de C U When I C U.

Lançado pela excelente Nuclear Family Records, esperamos que haja mais por vir do projeto Hard Stare.


PLAYLIST EXCLUSIVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: