Os Melhores Álbuns de Rock de 2022 (Até o Momento…)

Já estamos (quase) no meio do ano, e as inevitáveis listas de melhores do ano no primeiro semestre vão começar a surgir em tudo que é canto que se fala de música na internet. O que eu tentei fazer aqui foi apenas separar aqueles álbuns que foram citados de alguma forma aqui no blog – seja em resenhas, no canal do youtube ou no rapidinhas.

A ideia é aprofundar a lista um pouco mais até o fim de 2022, porém, já tem muito nome interessante pra se da uma conferida até o momento. Dentro do rock, para os fãs de progressivo, pop punkhard rock, rock clássico, indie, ou apenas rock… aproveitem as dicas, tem de tudo um pouco.

Esses são os nossos álbuns favoritos de rock de 2022 até o momento.


ANXIOUS – LITLEE GREEN HOUSE

Little Green House é o álbum de estreia da jovem banda de Hardcore/Emo Anxious, do estado americano de Connecticut. Com temas que abordam a passagem da adolescência para a vida adulta, ultilizando uma sonoridade bem melódica e limpa, que ao mesmo tempo traz uma nostalgia mas que também se encaixa muito bem nesse “emo revival” dos últimos anos. – Lucas Santos


AVRIL LAVIGNE – LOVE SUX

Se Travis Barker realmente está empenhado em trazer o som do Pop Punk de volta ao mainstream não tem melhor garantia de êxito do que um disco da Avril Lavigne. O “êxtase” que Avril sentiu ao saber que os jovens estão voltando a escutar pop punk ao ponto de animar ela de regressar ao estilo, conquista também toda uma galera que hoje está na casa dos 30/40 anos. – Roani Rock


BLACK SWAN – GENERATION MIND

Se não fosse pelos trabalhos anteriores de seus integrantes em grupos importantíssimos do hard rock, eu diria que Generation Mind é o auge de todos eles. Difícil de cravar exatamente, mas deu liga… muita. Todo aquele potencial em Shake The World foi entregue, e esse é certamente um dos álbuns mais incríveis de hard rock de um “supergrupo” já feito. – L.S


CHILDREN OF THE SUN – ROOTS

Roots é o segundo álbum de estúdio de uma das melhores bandas de rock retrô atuais, o Children of the Sün. Com um apanhado de músicas que se misturam entre o rock clássico dos anos 60 com pitadas de blues, leve psicodelia e melodias cativantes, o sexteto sueco merece muito a sua atenção, por resgatar essa vibe hippie do festival de woodstock com todos os apetrechos modernos ultilizados na medida certa. Certamente uma banda para se ficar de olho. – L.S


DOROTHY – GIFTS FROM THE HOLY GHOST

Gifts From The Holy Ghost é o trabalho mais impactante de Dorothy com a ajuda de todos os seus parceiros musicais. Hard rock e Pop fundidos da maneira certa, dando aquela sensação de peso e melodia que às vezes é o que mais falta em bandas de rock atuais. Certamente vai alavancar ainda mais o nome da banda no cenário atual e aumentar ainda mais a sua importância para o rock moderno. Além de ter a sensação que Dorothy Martin pode cantar tudo, também tive a mesma impressão que ela quer cantar exatamente o que Gifts From The Holy Ghost nos apresenta. – L.S


GIORDANO LAZZARESCHI – CADA UM COM SEUS POEMAS

O álbum contém letras belíssimas e por ser curto, fica na medida certa. A faixa que dá nome ao disco intensifica essa estética poética e ornamental que ele prega. A faixa que finaliza o disco, Céu, é a mais indie do trabalho, com certo preciosismo nos arranjos. “Cuidadoso” esse é um bom modo de classificar o trabalho do artista indie-MPB que usa pitadas de blues, perceptível devido a melancolia de suas canções e solos com o devido feeling. Acrescentaria até um outro atributo que até faz rima, “corajoso”. É satisfatório escutar tanta criatividade em sons e melodias de algo que fica no meio de um indie e nova MPB tão pasteurizados. – R.R


GIRISH AND THE CHRONICLES – HAIL TO THE HEROES

O segundo álbum de estúdio da melhor banda de hair metal indiana que já existiu, Girish And The Chronicles é um passo à frente da sua estreia. Muito mais redondo, com fortes canções e diversos momentos interessantes, a banda conseguiu em suas composições ressaltar o que mais me chama atenção no grupo, a performance do vocalista Girish Pradhan. Com uma mistura do hard rock clássico e de bandas atuais como Crazy LixxHeat CrashdïetHail To The Heroes é certamente um destaque dentro do gênero no ano. –L.S


HARRY STYLES – HARRY’S HOUSE

Harry’s House provavelmente é a confirmação de que o cara tem bastante lenha pra queimar ainda, não aceito dizer que é seu trabalho definitivo, mas certamente representa uma evolução e maturidade. O presente é agradável, mas se pensarmos que ele tem apenas 28 anos, fico ansioso para ver o que virá no futuro. – R.R


MT. JOY – ORANGE BLOOD

Orange Blood é mais impactante que o último “meio confuso” trabalho da banda. Certamente tem melhores canções e no todo, é mais memorável que Rearrange Us. Ainda considero a estreia da banda como um álbum quase que perfeito e ainda insuperável, mas felizmente Orange Blood veio em ótimo momento, para mostrar que as boas ideias estão longe de estarem escassas e que sim, eles podem viver no hype. Estou cantarolando Bathroom Light já tem 2 meses e não vejo a hora do Mt. Joy lançar mais material e de assisti-los ao vivo, mais uma vez. Esse álbum me fez muito feliz. – L.S


NO PRESSURE – NO PRESSURE

O Supergrupo de Pop Punk fundado em 2020 apresenta Parker Cannon (The Story So Far) nos vocais, Pat Kennedy (Light Years) na guitarra e Harry Corrigan (Regulate) na bateria lançou no mesmo ano de nascimento o EP de estreia auto intitulado e imediatamente caiu nas graças dos amantes do gênero. O primeiro LP da banda, também auto intitulado, segue a mesma e empolgante forma da estreia; repleto de melodias insaciáveis e contagiantes do início ao fim, com uma pitada de força bruta hardcore lançada em boa medida, são ingredientes que não tem erro. Um dos melhores registros do ano. – L.S


SCORPIONS – ROCK BELIEVER

O disco todo é um golaço. Poucas bandas comemorando 50 anos de carreira conseguem produzir um trabalho que seja renovado com tanta identidade inserida como o Scorpions fez em Rock Believer. Desde a primeira faixa já sabemos que tem coisa boa por vir. Enfim, os Scorpions fizeram o que prometeram há tempos e nos deram um álbum grandioso, que pode agradar fãs de longa data e marinheiros de primeira viagem. Depois de dois álbuns que claramente soletravam “álbum final”, os Scorpions lançaram outro álbum, e algo me diz que nem mesmo este pode ser o “álbum final do Scorpions”. Existem algum limite para eles? – Luis Rios


STATE CHAMPS – KINGS OF NEW AGE

Kings of the New Age é para os ouvintes de pop punk que ainda estão aqui por suas origens e quando o gênero atingiu o pico nos anos 2000. É um álbum para os obstinados que só querem ouvir um riff cativante e entrar no mosh, e é o State Champs em sua forma mais verdadeira. O quarto álbum do quarteto de Albany é o mais completo e cativante de sua carreira e uma afirmação do porque eles serem um dos nomes mais importantes do pop punk moderno. – L.S


RUST N’ RAGE – ONE FOR THE ROAD

One For The Road é uma ótima estreia. Foi muito além do que eu esperava. Os finlandeses do Rust N’ Rage surpreendem com um ótimo som cru, alinhado as guitarras bem presentes, cozinha pulsante e vocal bem dinâmico e carismático. De todos os lançamentos da gravadora Frontiers até o momento em 2022 esse é disparado o meu favorito. É assim que eu gosto do meu Rock N’ Roll!! – L.S


SCARLET REBELS – SEE THROUGH BLUE

O debut do Scarlet Rebels tenta resgatar a essência do hard rock dos anos 80 cru, com muita influência do Guns N’ Roses, mas também com uma pegada moderna e alternativa de bandas mais atuais. A mistura é empolgante e com vários momentos divertidos em See Through Blue. Mesmo com alguns pequenos deslizes, é certamente uma banda para se manter no radar para um futuro bem próximo. – L.S

SKILLS – DIFFERENT WORLD

O álbum tá no ponto, é bem gravado, tem um bom tracklist onde as músicas se correlacionam, não passam uma aura de soberba ou ego escancarado. Dá pra sentir uma verdade no que querem transmitir, além da diversão de estarem tocando juntos. É um disco que quando acaba se lamenta, eu pelo menos não vejo mais minha vida sem voltar para escutar as músicas deste trabalho primoroso. – Roani Rock

9 comentários

  1. Ótima lista, vou ouvir todos!
    Obs: Por enquanto meus favoritos do semestre são: A Light for Attracting Attention (The Smile), Fear of the Dawn (Jack White), Once Twice Melody (Beach House), Ants From Up There (Black Country, New Road) e Night Gnomes (Psychedelic Porn Crumpets). Menções também para os álbuns do R.H.C.P, Placebo, King Gizzard, Spoon e Bloc Party que achei bem razoáveis também 🙂

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para André Silva Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: