Rapidinhas: Allen Key, Felipe Andreoli e Rivers Of Nihil

Por Lucas Santos

‘Rapidinhas The Rock Life’ é um novo quadro que surgiu para aumentar o apanhado da quantidade massiva de música que escutamos durante a semana. Cheguei a conclusão que só os Reviews por aqui não eram o suficiente e por isso criamos esse novo formato para, de forma breve, aumentar o nosso acervo musical e, claro, aumentar o número de dicas de música boa dentro do Metal e do Rock.

Além dos Reviews e Listas que saem diariamente, junto da ‘Banda Da Semana’, o ‘Rapidinhas The Rock Life’ vai cobrir outros lançamentos da semana* com informações reduzidas das bandas e álbuns. 

Todos os álbuns lançados em 24/09/2021


Allen Key – The Last Rhino

Gravadora: Canil Records
Gênero: Hard N’ Heavy
País: Brasil

O quinteto brasileiro Allen Key liderado pela versátil vocalista e compositora Karina Menascé lançou o seu debut The Last Rhino. As oito faixas do álbum, todas compostas por Karina, trazem uma mistura de hard rock, rock n’ roll e heavy metal, que carrega infuências diversas que vão do hard oitentista, rock setentistas e metal moderno. Ainda com uma falta mais concreta de indentidade, The Last Rhino é muito diverso e uma excelente estreia.


Felipe Andreoli – Resonance

Gravadora: Independente
Gênero: Heavy Metal
País: Brasil

Resonance é o primeiro álbum solo de Felipe Andreoli, baixisita do Angra, que chegou ao público através de uma campanha de crowdfunding. Com diversas participações Kiko Loureiro, André Nieri, Brett Garsed, Guthrie Govan; o vocalista Dino Jelusick, e os bateristas Virgil Donati (Planet X) e Simon Phillips (Judas Priest, The Who). Com várias variações e experimentações, Resonance é um ótimo álbum de conferir, não só pela consolidação de um dos maiores baixistas de todos os tempo, mas pelas criativas faixas e incríveis convidados.


Rivers Of Nihil – The Work

Gravadora: Metal Blade Records
Gênero: Technical Death Metal
País: Estados Unidos

The Work é o quarto álbum de estúdio de Rivers Of Nihil, uma das bandas mais interessantes do nicho do famoso “Tech Death”. Talvez um álbum que deixe a desejar um pouco se comparado com os trabalhos anteriores mas a ótima mistura característica da banda entre transições mais ambientes e passagens pesadas e complexas ainda está presente. As faixas não te prendem tanto e não soam tão memoráveis, porém ainda é interessante conferir toda essa fusão sonora do The Work.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: