RAPIDINHAS THE ROCK LIFE: Nasty, Svalbard e Dropdead

Por Lucas Santos

‘Rapidinhas The Rock Life’ é um novo quadro que surgiu para aumentar o apanhado da quantidade massiva de música que escutamos durante a semana. Cheguei a conclusão que só os Reviews por aqui não eram o suficiente e por isso criamos esse novo formato para, de forma breve, aumentar o nosso acervo musical e, claro, aumentar o número de dicas de música boa dentro do Metal e do Rock.

Além dos Reviews e Listas que saem diariamente, junto da ‘Banda Da Semana’, o ‘Rapidinhas The Rock Life’ vai cobrir outros lançamentos da semana com informações reduzidas das bandas e álbuns. Vamos testar esse formato por algumas semanas e ouvir o feedback de vocês para saber se continuaremos ou não. No mais, dêem uma olhada nos álbuns que separamos essa semana. Bastante hardcore pra começar bem a semana.

Nasty – Menace

O Nasty não brinca em serviço. Eles sabem muito bem como levar a abordagem da sua música. Alcançando apenas 30 minutos, Menace é composto por 14 faixas de quebrar o pescoço, feitos por meio de uma produção áspera e entrega rápida. Com faixas que não vão além da marca de três minutos, com algumas chegando a cair abaixo de um único minuto, há momentos em que Menace falha em causar uma impressão duradoura. Mesmo assim, o álbum é uma adição valiosa ao catálogo de indulgência hardcore da banda. Um hardcore puro e honesto. Sem firulas.

Svalbard – When I Die, Will I Get Better?

A progressão sutil que Svalbard fez ao longo de sua carreira é louvável, infundindo seu hardcore/metal mergulhados em um shoegaze de muita propriedade. When I Die, Will I Get Better? é o grupo em dois extremos diferentes de seu som: calmo em um minuto, implacável no próximo. O Svalbard tem brincado com essas influências desde o início e, após 3 álbuns, vemos que a banda está no auge da criatividade e alcançou todo o potencial desde que lançou o seu debut One Day All This Will End (2015)

Dropdead – Dropdead 2020

Após o lançamento de inúmeros EPs e splits desde 1998, a influente banda de hardcore punk de Providence- Rhode Island, Dropdead, finalmente lançou, em 2020, o seu tão aguardado terceiro álbum após 22 anos. Dropdead 2020 tem 24 minutos de pura raiva e declarações sobre falhas políticas e questões sociais, a condição humana e o abuso de animais – coisas pelas quais a banda sempre foi conhecida. A mistura pesada de punk hardcore, crust e powerviolence que compôs seu mundo cru e caótico está em ordem aqui. Após um longo período, a banda e os fãs podem se deliciar nesse que é, facilmente, um dos melhores trabalhos do gênero no ano.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: