Review: Primal – Metal Commando

Por Lucas Santos

Não há nada de novo aqui, porém, mesmo este não sendo o maior problema do Primal Fear, senti que houve uma queda bem brusca na qualidade das composições.

Confira mais metal em 2020:
Havok – V
Alestorm – The Cursed Of The Crystal Coconut
Elder – Omens
Currents – The Way It Ends
Lamb Of God – Lamb Of God
Protest The Hero – Palimpsest

Gravadora: Nuclear Blast
Data de lançamento:
24/07/2020

Gênero: Power Metal
País: Alemanha

Power Metal é um gênero curioso. Em uma opinião bem sincera, esse é o estilo cujo material novo menos me interessa, muito em função da falta de originalidade e estagnação. Uma relação oito ou oitenta. É curioso pensar que o Primal Fear está na estrada desde 1998, e, mesmo sendo possivelmente uma das bandas que vem entregando o mais puro e direto Power Metal desde sempre -e uma das minhas favoritas, ainda é um grupo muito subestimado.

Reformular o som nunca foi muito a praia da banda. Em Metal Commando, décimo-terceiro da discografia do grupo do vocalista Ralf Scheepers, e o primeiro desde o retorno da banda com a gigante Nuclear Blast, a escrita se manteve. Não há nada de novo aqui, porém, mesmo este não sendo o maior problema do Primal Fear, senti que houve uma queda bem brusca na qualidade das composições.

O trabalho anterior, Apocalypse (2018), foi muito apreciado por aqui, senti que a banda havia dado uma renovada, mesmo que suave, no seu som, mas em Metal Commando parece que a tal “volta às origens” não caiu muito bem. Não se engane, Ralf ainda entrega uma performance vocal incrível e o instrumental é cheio de momentos potentes, com riffs avassaladores, bateria insana e solos rápidos e melódicos. A banda conta com três guitarristas talentosíssimos: Magnus Karlsson, Alex Beyrodt e Tom Naumann, porém todo este talento reunido fica meio desnecessário quando eles não entregam nada fora do comum.

Há bons momentos em que podemos nos excitar, culpa de faixas como I Am Alive, Along Came The Devil e Raise Your Fists e, mesmo com a incrível produção moderna e justa, as faixas soam datadas e sem sal, na grande maioria das vezes. Não há nenhuma faixa “ruim”, de maneira alguma, mas na primeira audição, a sensação de repetição e mesmice clica na hora. Estamos diante de um bom, mas esquecível álbum de Power Metal.

Metal Commando mostra aquilo que o Primal Fear sempre fez. A criatividade pode não ser a mais abundante dessa vez, porém é mais um bom trabalho na competente discografia da banda. Mais pessoas deveriam conhecê-la. Se esse é o seu caso, sugiro que comece por outro álbum.

Nota final: 5/10

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: