Review: Elephant Tree – Habits

Por Cleo Mendes e Lucas Santos

Não espere um álbum de metal agressivo, o som da banda é de natureza quase calmante, graças às conotações psicodélicas e aos ritmos mais lentos.

Lucas Santos

Confira mais metal em 2020:
Body Count – Carnivore
Solitary Sabred – By Fire & Brimstone
Seven Spires – Emerald Seas
Sepultura – Quadra
Code Orange – Underneath
Lady Beast – The Vulture’s Amulet

Gravadora: Holy Roar Records
Data de lançamento: 24/04/2020

Gênero: Rock Psicodélico
País: Inglaterra

Elephant Tree existe desde 2013 e, para te situar em sua sonoridade, eles combinam “a densidade sonora de doom metal à la Pallbearer com a vívida psicodelia de contemporâneos como Elder“. Esse é certamente um momento de amadurecimento para a banda, e Habits, o terceiro álbum de estúdio mostra uma diversidade sonora que não se prende em seu modo usual.

O álbum começa com uma faixa pulsante que é seguida de Sails, um riff estrondoso que carrega poder e energia. As guitarras se assemelham a um disco do Smashing Pumpkins e a rica produção realmente traz o peso à tona. Não espere um álbum de metal agressivo, o som da banda é de natureza quase calmante, graças às conotações psicodélicas e aos ritmos mais lentos.

Faceless continua com os imensos riffs carregados e vocais arejados, mas acrescenta outra camada de peso que é equilibrada pela melodia e pela contenção. É uma combinação que raramente funciona de maneira tão eficaz quanto em todo o álbum. Os solos de guitarra entram e saem, mas nunca dominam tudo, e o trabalho de baixo e bateria mantém a coisa toda perfeitamente.

Existem sons de guitarra gigantescos em quase todas as músicas. A conclusão esmagadora de Exit The Soul é um destaque particular. É seguido por um raro momento de calma em The Fall Chorus, antes que o Birds suba tudo com uma música magnífica que deve soar extraordinária quando tocada ao vivo. A faixa é enriquecida pelos sintetizadores atmosféricos de John Slattery e as harmonias vocais de Jack Townley e Peter Holland.

O rock distorcido com uma pegada mais stoner às vezes remete bandas como Kyuss e Electric Wizard, mas com uma qualidade etérea que, ao invés de tentar convencer o ouvinte a se submeter, o usa para moldar uma atmosfera de transe simultaneamente pesada e animadora.

O Elephant Tree certamente parece ter encontrado seu lugar no mundo da música pesada. Esse é um álbum grandioso que cabe ainda mais em um cenário ao vivo. O underground o Reino Unido resiste mais uma vez e Habits é o exemplo vivo disso.

Nota final: 8,5/10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: