Review: Boston Manor – Glue

Por Lucas Santos

Ratking é a perfeita “faixa exemplo”; ritmos eletrônicos, tonalidades de guitarras variadas, veia pop presente e um refrão imenso que explode facilmente. Há um extremo cuidado com a produção e pequenos detalhes de sons adicionais que elevam o nível, o fazendo ser muito diferenciado.

Lucas Santos

Confira mais punk:
Brooklane – Roll With The Punches
The Bombpops – Death In Venice Beach
Honey Creek – A Whole Year In Transit
Chief State – Tough Love
All Time Low – Wake Up Sunshine

Gravadora: Pure Noise Records
Data de lançamento: 1/05/2020

Gênero: Pop Punk
País:
Inglaterra

Talvez um dos maiores nomes do pop punk moderno seja os ingleses do Boston Manor. Chamando atenção logo cedo quando o seu álbum de estreia Be Nothing (2016) trouxe uma abordagem verdadeira e crua de pop punk melódico moderno, eles mudaram de cenário com um melancôlico e mais dark Welcome To The Neighbourhood (2018). Glue é uma msitura dos trabalhos anteriores, sendo um disco mais agressivo, com uma crueldade implacável, mas também, carregando uma mensagem importante. Ele se concentra no estado da sociedade e na direção descendente em que parecermos estar seguindo.

A dose agressiva já é percebida logo na faixa de abertura Everything Is Ordinary, pegando elementos mais digitais e eletrônicos, os tons das guitarras são bastante variados durante todo o álbum, e nos momentos mais melódicos como Plastic Dreams, é notável um forte cuidado pop e dramático. Henry Cox se mostra um abrangente vocalista, além de segurar a onda em diversas situações, dentro da diversidade do álbum, a faixa Only1 mostra exatamente a combinação forte e melódica que ele impõe.

O quinteto de Blackpool também mostram uma natureza mais gentil. No meio do caos está Stuck In The Mud, uma música que expõe uma fragilidade e dor que se sustenta lindamente. Ratking é a perfeita “faixa exemplo”; ritmos eletrônicos, tonalidades de guitarras variadas, veia pop presente e um refrão imenso que explode facilmente. Há um extremo cuidado com a produção e pequenos detalhes de sons adicionais que elevam o nível, o fazendo ser muito diferenciado.

Glue é um álbum com muitas experimentações, e talvez essa seja a maior falha. Devido as inúmeras mudanças de ritmos e novos sons ele se faz um álbum inconstante e pode não ser uma audição fácil para alguns. É muito fácil escolher as suas faixas preferidas, mas consigo ver algumas pessoas não se comprometendo com os 51 minutos completos.

O Boston Manor define o rumo da sua carreia com Glue. Eles olham pra trás e assumem perigosas escolhas em razão de estabelecer o seu verdadeiro som. 85% dos riscos assumidos são acertados, os detalhes chamam muito a atenção, produção é impecável e letras que alfinetam a sociedade emque vivemos. Um ousado álbum que cumpre expectativas e cria surpresas mais que bem vindas.

Nota final: 8,5/10

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: