Review: Brooklane – Roll With The Punches

Por Lucas Santos

Anxiety e Shut Me Down, também lançadas como singles, são hinos instantâneos e Homebound nos traz aquela sensação característica de libertação que uma boa música de pop punk deveria trazer.

Lucas Santos

Confira mais pop punk:
The Bombpops – Death In Venice Beach
Honey Creek – A Whole Year In Transit
Chief State – Tough Love
All Time Low – Wake Up Sunshine

Gravadora: Independente
Data de lançamento:
24/04/2020

Gênero: Pop Punk
País: Estados Unidos

Rapaz, o pop punk é um estilo que realmente me surpreendeu nesse ano de 2020. E não estamos nem no meio dele. Após me maravilhar com a qualidade dos álbuns de estreia dos canadense do Chief State, e da banda de Milwaukee Honey Creek, e de parabenizar o All Time Low por lançar um trabalho diversificado que soa energético e bem coerente, mesmo depois de tanto tempo de estrada, é a vez do Brooklane entrar em cena.

Num período de 2 anos, muita coisa aconteceu. Antes do lançamento do debut Roll With the Punches, o vocalista Alex Anderson iniciou o projeto com poucas esperanças de encontrar membros em sua pequena cidade de Fargo, North Dakota. Com o tempo, tudo e todos se encaixaram, e a banda finalmente nasceu, botando em prática todas as ideias de Alex. Consequentemente o primeiro trabalho de estúdio também nasceu.

O que temos são, em menos de 23 minutos, 7 faixas que vão direto ao assunto. Músicas energéticas, rápidas e com crescente melodias que nos envolvem nos ritmos criados. Anxiety e Shut Me Down, também lançadas como singles, são hinos instantâneos e Homebound, nos traz aquela sensação característica de libertação que uma boa música de pop punk deveria ter.

Time Spent e Sucker continuam uma sequência de sons que, não são brilhantes, mas deixam qualquer admirador do gênero cativado e interessado, de forma que não vai ser espanto nenhum se começarmos a ouvir o Brooklane fazer barulho por aí.

Confesso que me incomoda um pouco o tamanho do disco. 23 minutos é muito pouco. E apesar da audição na íntegra ser rápida, fácil e pra lá de agradável, gostaria de um material mais enxuto com, se não algumas variações, mais opções. Poderiam ter lançado como um EP talvez? Ou adicionar duas ou três mais faixas e fechar 10 no total? Seriam escolhas que fariam mais sentido.

Com toda esss enxurrada de ótimos novos trabalhos de pop punk, estou aqui me perguntando se de repente vou acordar no meio do meu ensino médio de camisa da Hurley e com a MTV tocando ao fundo. Roll With The Punches conversa diretamente como esse público e é mais uma ótima novidade do gênero.

Nota final: 7,5/10

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: