Review: In This Moment – Mother

Por Lucas Santos

É um caso de ironia trágica que, enquanto tantas bandas começam a ser notadas por um talento inegável e genuíno, o In This Moment está seguindo o mesmo caminho graças à aparência e nada mais – A aparência importa, claro, mas seguida de, pelo menos, boa música-.

Lucas Santos

Confira mais metal em 2020:
Body Count – Carnivore
Solitary Sabred – By Fire & Brimstone
Seven Spires – Emerald Seas
Sepultura – Quadra
Code Orange – Underneath

Gravadora: Atlantic Records
Data de lançamento: 27/03/2020

Gênero: Metal Alternativo/Gótico
País: Estados Unidos

Minhas primeiras relações com o In This Moment foram em 2018 em um festival em New Jersey e depois no ano passado em um festival em Boston. Ambos os dias eu não prestei muita atenção no show puro e simplesmente porque o som não me chamou atenção. A imagem, por outro lado, chama a atenção, mas apenas por ser algo, não único, mas diferente da maioria das bandas que tocaram nos dois festivais.

Depois disso eu tentei escutar os álbuns, são cinco anteriores a esse, e nunca consegui terminar sem pausar ou fazer outra coisa. O mesmo vai com singles e músicas separadas. Até shows no youtube eu tentei, mas simplesmente o som não rolou pra mim. Hesitei bastante e pensei muito em escutar Mother, o sexto álbum de estúdio da banda de metal alternativo/gótico de Los Angeles, mas me bastaram duas audições (semi completas) para me afastar completamente da banda.

É um caso de ironia trágica que, enquanto tantas bandas começam a ser notadas por um talento inegável e genuíno, o In This Moment está seguindo o mesmo caminho graças à aparência e nada mais – A aparência importa, claro, mas seguida de, pelo menos, boa música-. Também não é uma suposição injusta; até a vocalista Maria Brink, que sempre foi a representação da figura da banda se perde em diversos momentos muito apelativos e exagerados.

Tudo o que eles realmente têm é a inércia na cena, e sem o grande sucesso de crossover que muitas outras bandas de hard rock e alt-metal têm que alcança sua área de influência imediata – juntamente com um som geral e a entrega de Brink que pode variar de um gosto adquirido a totalmente desagradável – é difícil ficar tão empolgado ao ver essa banda continuar, independentemente do que eles trazem para a cena.

Eu tentei, bastante, mas o som do In This Moment não funciona pra mim, nem ao vivo – onde teoricamente seria a parte “interessante” da banda-. O que eu consigo exergar é uma montanha de ideias jogadas de forma rasa e confusa, com um desperdício de uma boa frontwoman e uma boa imagem. Eu passo.

Nota final: 4/10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: