Review: Storm Force – Age Of Fear

Por Lucas Santos

Influências de Cinderella e Van Halen estão por toda parte, com tons de Motley Crue às vezes.

Lucas Santos

Confira mais Rock em 2020:
The Night Flight Orchestra – Aeromantic
Brkn Love – Brkn Love
Confess – Burn ‘Em All
H.E.A.T – H.e.a.t II
Dirty Shirley – Dirty Shirley

Gravadora: Escape Music
Data de lançamento: 25/01/2020

Gênero: Hard Rock
País: Canadá

Você pode não estar ciente de quem é o Storm Force, mas antes de me aprodundar na análise, já digo que a estreia da banda canadense, Age Of Fear, vai te deixar sem fôlego. Sendo uma junção de membros da Brighton Rock e Surface Tension, o novo projeto é formado pelos pioneiros das duas bandas, Greg Greger nas guitarras e Patrick Gigliardi nos vocais. Ao lado deles completam a cozinha Brian Hamilton e Mike Beradelli no baixo e na bateria, respectivamente. Vindo da magnífica Niagara Falls, o hard rock pesado e melódico dos canadenses é um dos melhores lançamentos do gênero até então no ano.

O álbum começa com o fenomenal Because of You, dando o tom cedo com seus grandes ganchos e riffs sólidos – que foram sustentados e transportados para a seguinte Age of Fear. A proeza de Greg está em exibição total em músicas como Marshall Law, Ringside e Breathe. Mostra solos muito bons, comprovando suas habilidades geral na guitarra, com riffs de vibrato e também acústico quando preciso – More Than You Know e Ember Rain – demonstrando sua versatilidade.

O álbum tem uma sensação avassaladora de estádio, apesar de algumas baladas serem propositalmente colocadas para criar um contraste nos sons e servir como uma parada curta depois de algumas faixas contundentes, como Dirty Vegas. Influências de Cinderella e Van Halen estão por toda parte. Com tons de Motley Crue às vezes. Um excelente exemplo disso, seria Marshall Law, com sua energia transbordante e guitarras assertivas, muito reminiscentes da era glam, mesmo sendo uma das faixas mais fracas do álbum.

Uma coisa que realmente vale a pena reconhecer neste disco é a versatilidade de Patrick. Ele registra notas altas com pouco ou nenhum esforço, e em alguns momentos, até oscilando na linha fina de notas altas e gritos primitivos. Sua voz explode com energia bruta que pode enlouquecer uma multidão, e quando se trata de baladas, como Different Roads, ele apresenta com profundidade emocional o seu canto que poderia facilmente tocar o ouvinte.

A música de encerramento, Weight Of World, é o culminar de tudo o que eles fizeram nas outras faixas. Contendo riffs agudos, grandes refrões e um solo incrível, e pela maneira como o refrão foi escrito, parece destinado a fazer uma multidão cantar junto com seu tom fácil e estrutura curta. Patrick guardou o melhor para o final, e sua performance é simplesmente espetacular.

O Storm Force tem apenas uma preocupação, rock n’ roll. Do cru ao melódico, dos refrães fáceis à batida pulsante e guitarra que derrete faces. Uma pedida necessária à todos os fãs do puro hard rock. Uma estréia de tirar o chapéu.

Nota final: 8,5/10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: