Review: Passion – Passion

Por Lucas Santos

O novo grupo britânico surgiu quando o vocalista Lion Ravarez escreveu o primeiro single do Trespass on Love e decidiu tocar o projeto à frente, sendo também um dos produtores do álbum de estréia.

Lucas Santos

ONFIRA MAIS ROCK:
Alter Bridge – Walk The Sky
Brkn Love – Brkn Love
Eclipse – Paradigm
Goodbye June – Community Inn
William DuVall – One Alone
Dirty Shirley – Dirty Shirley

Gravadora: Frontiers Records
Data de lançamento: 14/02/2020

Nao dá pra fugir muito das referências assim que você põe o debut do Passion pra tocar. O novo grupo britânico surgiu quando o vocalista Lion Ravarez escreveu o primeiro single do Trespass on Love e decidiu tocar o projeto à frente, sendo também um dos produtores do álbum de estréia.

O conceito por trás do Passion é simples: ótima musicalidade e composições com melodias memoráveis. A banda também faz questão de não levar as coisas muito a sério, muita de suas letras tem duplo sentido e conotações mais picantes. Pitadas de AOR, hard rock melódico direto e canções de ganchos fáceis e sedutores, essa é a receita que permeia por todo o disco.

É verdade que sim, temos bons momentos durante o álbum, as quatro primeiras faixas tem todos esses ingredientes citados para uma boa “farofa”, temos um pouco de Ratt aqui, Van Halen ali, riffs de AC/DC e o refrão mais grudento de Bon Jovi. É uma banda que perceptívelmente tem tudo ali – o visual também – mas peca por uma inconsistência em sua playlist. Too Bad For Baby e Lost In The Dark são músicas fortes e poderiam fazer parte de qualquer grande álbum de hard rock nos anos ointenta.

Porém a partir da faixa Back, com salvas excessões, há uma brusca queda de qualidade, e o que era algo que sim, se baseava em alguma coisa, vira uma enxurada de clichês, músicas chatas e repetitivas e algo muito insosso. A sensação é total de que muitas coisas estão ali pra encher linguiça e infelizmente fazem a capacidade do disco cair violentamente. She Bites Hard aponta outro bom momento, mas We Do What We Want e Big Game são muito cansativas e esquecíveis.

De uma ótima primeira parte à uma segunda parte esquecível, a estreia do Passion até vale uma audição para os mais interessados no gênero, mas, sendo um estilo que espantosamente está saturado de muitas bandas boas atualmente, fica difícil acreditar que eles vão conseguir se destacar no momento diante de tantos outros nomes mais fortes no cenário.

Nota final: 6/10

Escrito por Lucas Santos

De Beatles à Tech Death.. nada passa despercebido.

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: