Review: Blacktop Mojo – Under The Sun

Por Lucas Santos

Under The Sun é um relato semi-autobiográfico de colisão com a idade adulta e as armadilhas que vêm com o romance moderno. A música se baseia em uma infinidade de gêneros e estilos e é uma mistura de muitos sons que amamos, que, espero, criam algo especial

Lucas Santos

CONFIRA MAIS ROCK:
HE IS LEGEND – WHITE BAT 
THE NEW ROSES – NOTHING BUT WILD
THE BLACK KEYS – LET’S ROCK 
THE RACONTEURS – HELP US STRANGER
HOLLYWOOD VAMPIRES – RISE

Gravadora: Sand Hill Records
Data de lançamento: 13/09/2019

Blacktop Mojo foi originalmente formada na cidade da Palestina, TX e ainda é pouco conhecida pelo grande público, inicialmente declarava-se ser de hard rock, porém algumas influências se tornaram mais presentes ao longo dos anos e acabaram mergulhando em uma porção delas que moldaram mais unicamente o som próprio da banda. O novo álbum, Under The Sun, terceiro em sua tragetória soa mais maduro e com músicas mais inspiradas que os álbuns anteriores.

“Após a turnê concluída para nós em 2018, voltamos para casa em outubro, onde nos trancamos com a banda por seis meses para escrever nosso terceiro álbum, Under The Sun. Gravado em 2019 no Rosewood Studios em Tyler, TX, com nosso amigo e produtor de longa data Philip Mosley, Under The Sun é um relato semi-autobiográfico de colisão com a idade adulta e as armadilhas que vêm com o romance moderno. A música se baseia em uma infinidade de gêneros e estilos e é uma mistura de muitos sons que amamos, que, espero, criam algo especial.” – Essa é a explicação da banda para o novo álbum de estúdio.

Lay It on Me começa exalando groove, e Matt James mostra pra que veio com vocais rasgados e agressivos. Set It Free e Come Get Your Coat mantém a pegada e começa a adicionar algumas pegadas, bem leves, de progressivo, essa última se destaca um grande solo de guitarra. Keep trás uma levada mais Soundgarden, mais arrastada e com um refrão grave e encorpado.

Somos surpreendidos com a balada blueseira It Won’t Last, uma faixa que mostra todo o vasto talento da banda de criar canções em estilos variados, o rock sulista foi muito bem representado aqui, daqueles de pegar o whisky, subir no cavalo e sair cavalgando pelo deserto. All Mine Now é um dejavu dentro do próprio álbum. Até aqui, cada faixa consegue surpreender a anterior, algo incrível de acontecer. Cada uma das dez faixas pode ser individual, cada uma com sua própria identidade consequente, levando você a uma jornada mística de brilho de gênero.

A faixa título termina o álbum reapresentando o groove pesado da faixa de abertura, misturando os elementos mais marcantes do álbum. Depois de ouvir o álbum inúmeras vezes pra tentar achar pelo menos alguma banda de referência ao seu som, diria que é uma mistura de Black Stone Cherry, Soundgarden, Shouthern Rock e blues, mas prefiro não me apegar em nenhuma banda específica. Blacktop Mojo faz um som tão original que vou chamalos apenas de: Blacktop Mojo.

Under The Sun é uma peça rara de Rock ‘n Roll. É feito por uma banda que sabe muito bem o que fazer, quando fazer e como fazer músicas, letras e melodias. É guiada por uma das melhores vozes que surgiram no rock nos últimos anos, é imprevissível e tocante. Blacktop Mojo consegue acertar não importa a direção que estão seguindo. Estou bem feliz em ter conhecido essa banda antes de estourarem. Firme cadidato à album do ano. “Don’t Mess With Texas!”

Nota final: 9,5/10

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: