The Rock List – Os melhores momentos do André Matos

Por Lucas Santos

Existem textos que são difíceis de serem escritos. No último sábado dia oito de junho, o mundo da música entrou em choque com a precoce morte do pianista, maestro, compositor e vocalista brasileiro André Matos. Com apenas 47 anos, vítima de um ataque cardíaco, ele deixou um legado imensurável ao Heavy Metal mundial e principalmente brasileiro. À frente do Viper, Angra, Shaman e em sua carreira solo, diversos momentos ajudaram para que o sua herança para o Metal seja infindável. Alguns mais especiais que outros, mas todos inesquecíveis para quem dedicou sua vida ao heavy metal.

10 – Viper

A primeira banda do cantor foi o ponto inicial e crucial da sua carreira. Sem o Viper não existiria o Angra, e possivelmente nada do que veio depois.

9 – Shaman

O Shaman surgiu logo após a conturbada ruptura do cantor com o Angra. Com a ajuda dos também ex membros, o baixista Luis Mariutti e baterista Ricardo Confessori, o grupo foi uma espécie de recomeço. E quem saiu ganhando foram os fãs de Heavy Metal.

8 – RituAlive

O Show realizado na cidade de São Paulo, com lançamento do DVD em 2003, contém participações especiais de integrantes das bandas Edguy e Helloween. Uma espécie de ressurgimento para o vocalista e sua nova banda após o rompimento com o Angra. Até hoje, um dos melhores shows ao vivo do metal nacional.

7 – Fairytale

A épica faixa do álbum Ritual, primeiro do Shaman, conseguiu a façanha de ser trilha sonora da Globo. Algo inédito até então, para o Heavy Metal brasileiro. O feito ajudou a impulsionar as vendas do álbum, colocando o Shaman ao lado de Sepultura e Angra como os maiores nomes do Metal nacional.

6 – Entrevista com o Helloween em alemão

Na MTV, André teve a chance de entrevistar Andi Deris e Michael Weikath, membros da banda de Power Metal alemã Helloween. As influências que André tirou do grupo alemão sempre foram muito expostas, e quando todos pensavam que o vocalista ia conduzir a entrevista em inglês, ele surpreendeu todos e conversou com os músicos em alemão, muito bem pronunciado por sinal.

5 – Flight Of Icarus com Bruce Dickinson

Porque não é toda vez que você canta ao lado do seu ídolo de infância.

4 – Lisbon

Em seu último álbum com o Angra (Fireworks), André compôs a profunda letra e melodia da incrível música que o seguiu durante toda a sua carreira.

3 – Holy Land

O álbum conceitual, segundo trabalho do Angra, trata de chegada dos portugueses ao Brasil em 1500. A obra conseguiu de forma magistral juntar as influências da música e cultura brasileira, com referências aos índios e seu folclore, arranjos clássicos e Heavy Metal, criando algo até então sem precedentes no mundo do Metal. Considerados por muitos o melhor trabalho da banda. Melhor? Não sei, mas é épico e segue imortal.

2 – Nothing To Say

Talvez um dos maiores riffs da história do Metal, sem exagero. Criação de Kiko Loureiro, claro, porém, baseando em toda uma idéia de André, juntando as forças, fazendo com que Nothing to Say se tornasse uma das músicas mais importantes para o cantor e para a banda, e para história do Metal nacional.

1 – Carry On

Talvez o maior “hit” e maior legado do cantor junto da banda que o projetou para o mundo. Música que era indispensável no setlist na época do Angra, do Shaman e em sua carreira solo. Nas palavras de Kiko Loureiro “Até hoje, todo lugar que eu vou é “Toca Carry On, toca Carry On”.

Descance em paz, André Matos.

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: