Review: Black Sites – Exile

Ainda que a primeira impressão seja de um som mais complexo de ser entendido, devido a quantidade de informações que somos obrigados a similar, o álbum é de fácil digestão, divertido e prazeroso.

Lucas Santos

Gravadora: Hoove Child Records
Lançamento: 19/4/2019

Diretamente de Chicago, Black Sites é o projeto do ex vocalista da banda Trials, Mark Sugar. Exile é o segundo álbum de estúdio da banda que sucede o In Monochrome de 2017.

Mirando no som mais clássico do Heavy Metal, com influências de Maiden, Black Sabbath, Judas, Rainbow e o que mais te lembrar do gênero. Black Sites se destaca pela escrita, composição e faixas elaboradas – nenhuma das 8 faixas tem menos de 4 minutos de duração. Elas possuem tantas nuances, tempos e andamentos diferentes que tinham de tudo para serem confusas e sem nexo. Porém tudo se encaixa, e a cada variação descobrimos outro lado da música que no fim, molda a peça final. Algo que só o Heavy Metal é capaz de fazer.

The Night They Came for You é uma excelente faixa de estréia, swingada, pesada, com diversas transições e toques progressivos. A voz de Sugar, que é mais grave se comparada com os vocalistas das bandas citadas anteriormente, é muito bem acompanhada pelas guitarras de Ryan Bruchert. Elementos do Hard Rock são encontrados em Focused Totality – The Psych Knife, uma faixa que consegue misturar muito bem os elementos com passagens mais pesadas e cadenciadas. Coal City é um épico de quase 8 minutos. A parte acústica se funde com a as guitarras pesadas que entram no decorrer da música. Em um estilo que flerta com o Doom Metal, mas sempre com a bateria de Garry Naples, com viradas incríveis, deixando as coisas mais divertidas e swingadas.

Ao longo dos mais de 45 minutos de audição, cada faixa nos remete a alguma banda clássica, ou até mais. Porém, juntos com uma excelente produção, o quarteto consegue criar um som próprio, que no fim, os caracterizam unicamente. Ainda que a primeira impressão seja de um som mais complexo de ser entendido, devido a quantidade de informações que somos obrigados a similar, o álbum é de fácil digestão, divertido e prazeroso. A repetição é quase que automática.

Estamos diante de um excelente disco de Heavy Metal. Tal como acontece no seu útlimo álbum, o Exile combina influências perfeitamente. Cada riff, ponte, guitarra e virada de bateria constrói uma unidade que faz com que soem únicos. Seguindo na linha In Monochrome, uma evolução que mantém a qualidade. Black Sites é uma das melhores bandas do gênero atualmente.

Nota final: 7/10

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: