Review: Andy Black – The Ghost Of Ohio


Experimenta sons diferentes, linhas marcantes de piano, com batidas eletrônicas misturadas em influências oitentistas em uma atmosfera mais pop.

Lucas Santos

Gravadora: Republic Records e Lava Music

Data de Lançamento: 12/4/2019

Bela arte de capa, aliás!

Por mais que Black Veil Brides seja uma banda importante, e uma das únicas que atualmente fazem sucesso com a premissa de serem do gênero de Glam Metal, nunca fui muito chegado. Tem seu mérito, mas para mim, sempre foi uma banda que chamou mais atenção por sua aparência do que pela música. O criador por trás de tudo isso é Andy Black. Nascido em Ohio, se mudou para Hollywood com apenas 18 anos para seguir seu sonho de montar uma banda e viver de sua arte. Em 2016 o cantor decidiu experimentar novos ares e lançou o álbum The Shadow Side, algo totalmente diferente do que o Veil Brides se propunha a fazer.

Com um som teatral e significativamente mais maduro do que qualquer um dos lançamentos anteriores de Black, The Ghost of Ohio é um álbum conceitual que acompanha a história de alguém que morreu jovem e cujo espírito habita uma área há cem anos procurando maneiras de se conectar. Também serve como um relato semi-autobiográfico da adolescência de Black enquanto ele explora suas próprias inseguranças e ansiedades na infância. O conteúdo lírico, juntamente com as composições únicas, cria um álbum que funciona quase como um filme, servindo de complemento para a próxima novela gráfica de Andy, de mesmo nome, que deve ser lançada no dia 19 de abril.

Longe de ser um álbum de Glam Metal/Hard Rock, The Ghost of Ohio segue a linha do seu precedente The Shadow Side. Experimenta sons diferentes, linhas marcantes de piano, com batidas eletrônicas misturadas em influências oitentistas, em uma atmosfera mais pop. Westwood Road tem uma excelente linha de baixo. Soul Like Me é melodicamente única, e tem um trabalho de guitarras excelente, adicionados a um refrão grudento e épico, assim como Heaven. The Wind & Spark possui ótimas linhas de piano e uma batida alegre e cativante. Black tem uma voz profunda e grave que deixa tudo mais melancólico e sombrio. The Martyr é a música mais pesada do álbum, se é que podemos defini-la dessa maneira, com excelente cooperação entre guitarra distorcida e bateria. Ela é a ponte para a última música, Fire In My Mind, onde tudo citado anteriormente se funde num último esforço de deixar a melhor impressão possível. Um belo modo de encerrar o álbum. No fim, a sensação é que a mensagem foi positivamente entregue, talvez fosse melhor recebida se fosse conduzida de uma maneira diferente? Talvez. Mas música pop de qualidade sempre é bem vinda!

A verdade é que na primeira audição, o álbum não me conquistou, longe disso. Mas depois de ler, pesquisar sobre e entender todo o contexto por trás das composições de Black, decidi dar mais uma chance. Acabou que durante o fim de semana, foi a única coisa que consegui ouvir. Me cativou profundamente. Para a proposta, Andy Black mudou seu som e aproveitou durante as doze faixas para ser eclético e muito coeso. Ele brilha com a elegância do Pop Rock. Se você já conhece a proposta dos seus álbuns solos, não irá se arrepender. The Ghost of Ohio é o melhor trabalho do vocalista. Se procura algo como o Black Veil Brides, talvez você pode se decepcionar. Vale a pena dar uma chance por se tratar de um excelente artista com um grande talento, experimentando recursos diferentes que nesse caso, funcionam muito bem.

Nota final: 7/10

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: