Review: Smoulder – Times Of Obscene Evil And Wild Daring

Times of Obscene Evil e Wild Daring é uma mistureba de estilos e referências. Dentre as mais perceptíveis estão Candlemass, Helloween e BlackSabbath.

Lucas Santos

Gravadora: Cruz Del Sur Music

Data de Lançamento: 12/4/2019

Isso é Smoulder or Golden Axe?

Quando descobri através do canal de youtube Banger TV, que sua única apresentadora Sarah Ann tinha uma banda, e estava prestes a lançar o seu álbum de estréia, fiquei bastante ansioso. Primeiro que compartilhamos de gostos muito similares, tanto em bandas mais clássicas quanto novos grupos que semanalmente tomam conta da programação do canal. Segundo que, depois de ouvir os dois singles disponibilizados no spotify, The Sword Woman e Voyage of the Sunchaser, fiquei positivamente impressionado com a qualidade musical e atmosfera que o Smoulder conseguiu alcançar logo de primeira.

Diretamente de Ontário, Canadá, Times of Obscene Evil e Wild Daring não é um álbum conceitual, mas seus temas líricos se apoiam em ficção e fantasia, contanto histórias de mulheres guerreiras em particular. Ilian Garathorm faz referência a uma encarnação feminina de Campeão Eterno, criação do autor Michael Moorcock. Assim como The Sword Woman e Black God’s Kiss, são inspiradas nas heroínas Agnes de Chastillon, criação do escritor francês Robert E. Howard e em Jirel of Joiry, de C.L. Moore, respectivamente. Menos centradas nas mulheres, mas igualmente inspiradas na fantasia estão Bastard Steel, que poderia ser muito bem encaixada em qualquer capítulo de Game of Thrones e Voyage of the Sun Chaser que é baseada em um conto do mundo de fantasia de Dragonlance.

Smoulder faz composições vibrantes e dinâmicas que vão do heavy metal épico ao doom metal mais pesado e lento, estilo tradicional do Candlemass, uma das bandas favoritas de Sarah. Sarah que aliás, tem um estilo de voz que, inserido no Metal e no Doom tradicional misturados com as músicas altamente narrativas, faz com que ela seja uma presença altamente poderosa, transmitindo as letras e algumas melodias memoráveis ​​de maneira forte e clara. Destaco que o som da bateria poderia ser mais polido mas nada que incomode a ponto de prejudicar a audição. Seria tudo perfeito se Black God’s Kiss fosse menos longa.

Times of Obscene Evil e Wild Daring é uma mistureba de estilos e referências. Dentre as mais perceptíveis estão Candlemass, Helloween e Black Sabbath. A banda abraça clássicos e clichês do heavy metal, que durante as 6 faixas ao longo das 38 minutos nos transportam por um tempo e para um lugar onde guerreiras, força e fantasia predominam. Inegavelmente que o Smoulder sabe fazer bem esse tal de Heavy Metal. Uma estréia impressionante! Congrats Sarah!

Nota final: 8/10

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: