Review: Burning Rain – Face The Music

Tudo proposto e entregue é de muita qualidade e agrada logo na primeira audição contudo a falta de um algo a mais pesa quando escutamos o álbum pela terceira vez em diante.

Lucas Santos

Gravadora: Frontier Records
Data de Lançamento: 22/03/2019

Uma daquelas bandas que podemos chamar de supergrupo. O talentosíssimo guitarrista Doug Aldrich ex-membro do Lion e que posteriormente tocaria com Dio, Whitesnake e The Dead Daisies, junto com com o vocalista Keith St. John (ex membro do Montrose) e que iria também cantar em bandas como LA Guns, Lynch Mob, Quiet Riot entre outras, tempos depois, fundou em meados de 1998 em Los Angeles, Califórnia, o Burning Rain. Acompanhados do baixista Ian Mayo (ex-Hericane Alice) e baterista Alex Makarovich da banda Steelheart o grupo lançou dois álbuns em sequência: Burning Rain (1999) e Pleasure to Burn (2000). 19 anos se passaram, e depois do excelente Epic Obsession em 2013 o lançamento de Face The Music era um tanto quando aguardado por apreciadores do gênero. Brad Lang baixista do Y&T e o ex baterista e membro fundador da lendária banda Slaughter, Blas Elias, se juntaram a banda em 2018 com a promessa de concluir e lançar um material novo no ano de 2019.

Com a banda devidamente apresentada, vamos direto ao que interessa. Com tanto talento reunido é plausível de se esperar um material promissor vindo do quarteto porém Face The Music peca em ser algo além de um bom álbum. Tudo proposto e entregue é de muita qualidade e agrada logo na primeira audição contudo a falta de um algo a mais pesa quando escutamos o álbum pela terceira vez em diante. Separando Lorelei que nos recorda o estilo mais escuro do grunge e Shelter que lembra qualquer faixa acústica do Led Zeppelin, todas as outras músicas seguem um padrão hard rock clássico que nos remete os anos 80 com elementos contemporâneos e pitadas de blues.

Os riffs e solos de Aldrich realmente chamam a atenção e deixam claros o porque ele é um guitarrista bem acima da média e muito subestimado, Revolution, Nasty Hustle, Beautiful Road, Hideaway, Face The Music são todas ótimas composições, todavia carecem de um toque final, aquele detalhe que todo grande álbum tem. A voz de Keith também peca pelo mesmo problema do conjunto, é uma ótima voz para o estilo, porém soa muitas vezes genérica e sem personalidade.

No fim nos deparamos com Since I’m Loving You, a melhor faixa de todo o álbum, explorando toda o talento do quarteto, refrão grudento, solos e riffs melódicos e de longe a melhor performance de Keith. Face The Music poderia ser mais, não é, mas não deixa de ser uma excelente pedida para os apreciadores do gênero e um alento para os fãs da banda carecidos de material novo. Com tantos projetos à frente dos músicos da banda, ficamos na dúvida se o Burning Rain lançará algo novo em breve, ficaremos na torcida.

Nota final: 5/10

Escrito por Lucas Santos

De Beatles à Tech Death.. nada passa despercebido.

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: